Temas

Angeologia      |      Apologia Cristã      |      Antropologia Bíblica      |      Bibliologia      |      Cristologia     Eclesiologia      |      Escatologia       |      Soteriologia      |      Hamartiologia      |    Pneumatologia      

Select the language


25 de Dezembro se aproxima.

Arquivo | 14 anos de postagens

Pesquisar este blog

quinta-feira, 14 de outubro de 2021

Cantares de Salomão 2.1 - A Rosa de Sarom citada na Bíblia não é referência a Jesus Cristo

Na Biologia, a planta que produz a Rosa de Sarom é identificada como Circus Hibiscus. Também é conhecida como arbusto Althea, é nativa do leste asiático. Especialistas em botânica afirmam que após o plantio, desenvolve-se sem requerer grandes cuidados, pois a espécie prospera de modo quase independente. Para mantê-la de maneira ornamental e agregar valor paisagístico admirável, basta ao cultivador fazer podas periódicas bimestrais. 

Arbusto de caule e galhos vigorosos,  arquitetos do paisagismo fazem uso dessa planta como cerca viva. Na variedade das espécies, suas flores exalam perfume exuberante e têm quatro cores diferentes: roxa, branca, amarela e rosa. 

Falando sobre a citação dessa flor nas páginas da Bíblia Sagrada, Hubner Brás escreveu o seguinte em sua rede social: 

Quando você ouvir um pregador afirmar que o título “Rosa de Sarom”, mencionado em Cantares 2.1, se refere a Cristo, diga a ele que está errado. Para se chegar a essa conclusão, é preciso observar com muito cuidado o contexto da passagem citada. 

Muitos irmãos leem o versículo isolado e acabam deduzindo, erroneamente, que o título alude ao Senhor Jesus. O livro de Cantares apresenta um diálogo alternante entre a Sulamita e seu amado, e é preciso ler cada versículo com atenção para identificar quem está falando. No fim do capítulo 1, o noivo diz: “Eis que és formosa, ó amiga minha, eis que és formosa; os teus olhos são como os das pombas” (versículo 15). E a noiva responde: “Eis que és gentil e agradável, ó amado meu; o nosso leito é viçoso. As traves da nossa casa são de cedro, as nossas varandas, de cipreste (versículos 16 e 17).

Em Cantares 2.1 - continua Hubner Brás em sua dissertação - , a noiva, que terminou falando no fim do capítulo 1, prossegue: “Eu sou a rosa de Sarom, o lírio dos vales”. No versículo 2, o noivo responde: “Qual o lírio entre os espinhos, tal é a minha amiga entre as filhas”, deixando claro que “rosa de Sarom” e “lírio dos Vales” se referem à noiva. Portanto, é a donzela Sulamita quem diz: “Eu sou a rosa de Sarom, o lírio dos Vales” (Cantares 2.1), posto que, logo em seguida, o noivo responde: “Qual lírio... tal é a minha amiga” (2.2). 

A Sulamita se compara às flores simples dos campos, numa possível demonstração de que não estava acostumada à aristocracia de Jerusalém. Sarom é a planície litorânea imediatamente ao sul do monte Carmelo, segundo nota contida na Bíblia de Estudo Pentecostal, página 984 (CPAD).


Fonte:
Hubner Bras -  https://www.facebook.com/HubnerBraz/posts/10209428209620311, consulta em 14 de outubro de 2021, 12h39.
He Haenselblatt - https://he.haenselblatt.com/articles/ornamental-gardens/rose-of-sharon-care-how-to-grow-a-rose-of-sharon.htmlxxx, consulta em 14 de outubro de 2021.

Nenhum comentário: