Páginas

Pesquise sua procura

Arquivo | 14 anos de postagens

terça-feira, 11 de janeiro de 2022

Cãibras - como prevenir e tratar este mal

Cãibras são espasmos doloridos que atingem principalmente os membros do corpo, afetam os músculos das pernas e dos pés, mas podem ocorrer também em alguns órgãos internos. É uma contração local e dolorosa do tecido muscular, geralmente ocorre na panturrilha (batata da perna). Geralmente uma cãibra tem curta duração, desaparece após alguns minutos.

Algumas pessoas acordam durante a noite com a contração dos músculos da perna; outras sofrem com uma sensação de dor perturbadora, que os médicos denominam de "Síndrome do Cansaço nas Pernas". 

A causa 

A cãibra surge por falta de irrigação sanguínea em consequência de cansaço muscular ou de anemia. O corpo humano é formado por apropriadamente 600 grupos musculares, constituindo 40% do peso de uma pessoa comum. Cada músculo é composto por muitos milhares de fibras, unidas pelo tecido conjuntivo. Os feixes de fibras contraem e relaxam conforme a atividade muscular.

Determinados remédios que afetam o sistema nervoso central podem causar estes problemas. Em alguns casos, outros medicamentos podem ajudar, levantar ou mudar de posição pode proporcionar algum alívio. 

Dentre as pessoas com maiores chances de sofrerem de cãibras nas pernas estão os atletas, que queimam suas reservas de glicogênio através de atividade física intensa e perdem potássio e sal através da transpiração excessiva; indivíduos em tratamento para hipertensão que estejam tomando medicamentos bloqueadores dos receptores-Beta ou certos diuréticos, e mulheres nos últimos meses de gravidez, que também eliminam grandes quantidades de potássio na urina.

Pessoas acamadas ou que permanecem sentadas por longos períodos de tempo geralmente sofrem de cãibras nas pernas. Além das medidas dietéticas, o melhor remédio é fazer exercícios físicos regularmente para tonificar os músculos e melhorar a circulação.

Prevenção e controle de cãibras

Os espasmos das cãibras propriamente ditas podem ser causados por uma quantidade inadequada de sangue no músculo, estiramento excessivo ou por uma lesão. O bom equilíbrio dos líquidos é importante para o funcionamento dos músculos. Se o volume de líquido é muito baixo, os rins respondem através da retenção de altos índices de sódio, os líquidos ficam retidos nos tecidos e assim não há circulação de líquidos suficientes para remover resíduos e manter o mecanismo de contração do músculo funcionando adequadamente. Uma quantidade suficiente de água mantém a concentração de eletrólitos na quantidade certa para conduzir os impulsos dos nervos para os músculos. Em contrapartida, a água em excesso dilui o sangue e diminui a concentração de eletrólitos. Isto não costuma ser um problema, uma vez que estes minerais podem ser facilmente repostos através de uma dieta balanceada.

Coma

  • Laticínios com baixos teores de gordura;
  • Alimentos ricos em potássio;
  • Carboidratos complexos, como arroz, legumes e massas;
  • Pães integrais enriquecidos (no Brasil as farinhas de trigo e de milho são enriquecidas com ácido fólico), cereais, vitaminas do Complexo B.

Apesar da capacidade do organismo produzir algumas vitaminas, a maioria provém da alimentação. Em 1912, o bioquímico polonês Dr. Casimir Funk apresentou a teoria de que os alimentos contêm substâncias químicas essenciais, que conhecemos hoje como vitaminas. No decorrer dos anos, foram descobertas 13 vitaminas essenciais para a saúde e para a prevenção de doenças relacionadas à carência destas vitaminas. São conhecidas seis substâncias de vitaminas do Complexo B. dentre os alimentos que as possuem a vitamina B, estão o levedo de cerveja, grãos de cereais integrais, hortaliças verdes, ovos, carnes, e peixes.

  • Vitamina B1 (Tiamina). Regula a eliminação de substâncias inúteis ao organismo. Estimula o apetite, favorece o desenvolvimento físico e regula o sistema nervoso. Sua carência resulta em inapetência, dificuldade digestiva, dores musculares e debilidade nervosa. Em casos extremos, pode ocorrer Beribéri. Principais fontes: amêndoa, amendoim, arroz integral, aveia, castanha-do-pará.
  • Vitamina B2 (Riboflavina). Responsável pela alimentação das células cerebrais e nervosas em geral; contribui também na manutenção dos tecidos da pele e dos olhos. Sua carência resulta em lesões na língua, nas mucosas e na boca, e em redor do nariz; torna os lábios secos e língua avermelhada; pode causar distúrbios oculares, tais como cataratas e glaucoma. Principais fontes: Abacate, amêndoa, amendoim, brócolis, castanhas, espinafre, feijão branco.
  • Vitamina B5 (Niacina). Assim como as demais vitaminas do complexo B, a Niacina age sobre os tecidos da pele e sobre as células nervosas. Além disso, influi favoravelmente nas funções do aparelho digestivo. Sua carência resulta em Dermatose, Diarreia, manchas da pele. Principais fontes: amendoim, castanha-do-pará, pimentão, trigo integral.
  • Vitamina B6 (Piridoxina). Também age sobre as células nervosas e os tecidos da pele. Principais fontes: farelo de trigo, germe de trigo, leite, melado de cana.
  • Vitamina B7 (Biotina) Importante para o funcionamento de algumas enzimas. É encontrada na síntese de ácidos graxos, na via gliconeogênica e no catabolismo de aminoácidos. Exerce papel na regulação da expressão gênica. Sua deficiência provoca descamação da pele e distúrbios neuromusculares. É encontrada no fígado bovino, e em outros alimentos em menor quantidade, tais como: cereais, frutas, e carnes.
  • Vitamina B9 (Ácido Fólico) Age como coenzima no metabolismo de ácidos nucleicos e aminoácidos, é importante no metabolismo de proteínas e na síntese de DNA. Sua ausência pode provocar anemia e defeitos congênitos, sendo estes últimos o motivo pelo qual a suplementação com ácido fólico é recomendada para mulheres que desejam ser mães (dois meses antes da gestação e nos primeiros dois meses de gravidez. É encontrada em alimentos de origem animal e vegetal: vegetais folhosos verde escuros, vísceras, grãos integrais, amendoim, e ovos. 
  • Vitamina B12 (Cobalamina). Combate os vários tipo de anemia, atua sobre as células nervosas e favorece a absorção das proteínas e aminoácidos. Sua carência resulta em anemia perniciosa e perturbações nervosas. Principais fontes: amêndoas, batatas, cereais integrais, germe de trigo, leite, hortaliças de cor verde.

Para prevenir a ocorrência de cãibras, nas noites frias mantenha os pés aquecidos com meias ou bolsa de água quente. A massagem e o alongamento podem acelerar a sensação de alívio e certos tipos de alimentos também ajudam a prevenir a ocorrência de cãibras futuras. Reduza o consumo de cafeína e evite a nicotina. O café e o fumo diminuem a circulação de líquidos para os músculos e contribuem para o aparecimento de cãibras.

Como os músculos obtém energia

A maior parte da energia necessária para a atividade muscular vem da glicose, o produto final do metabolismo dos carboidratos, armazenados na forma de glicogênio no fígado e nos músculos. As vitaminas, particularmente as do complexo B, são fundamentais para converter carboidratos, proteínas e gorduras e energia.

O organismo precisa de ferro para formar hemoglobina, o pigmento do sangue que fornece oxigênio aos músculos para a conversão de energia. O sódio, o potássio e o cloreto são também muito importantes para o funcionamento dos músculos. Esses minerais são chamados de eletrólitos porque suas partículas eletricamente carregadas (ions) conduzem os impulsos nervosos do cérebro para os músculos, dando-lhes instruções para contraírem ou relaxarem. O cálcio é a substância que dá início à contração muscular e, para completar o ciclo, o potássio é armazenado nos músculos juntamente com o glicogênio.

Quando os músculos queimam o glicogênio para obter energia, o ácido lático se forma como um produto residual e permanece no tecido muscular até que o sangue em circulação o retire. Durante períodos de exercício intenso, o acúmulo de ácido lático pode causar dor muscular e fadiga, semelhantes às cãibras. Com o repouso, o sangue move o acúmulo de ácido lático e a dor desaparece.

Conclusão

As informações contidas neste artigo não substituem e nem devem alterar qualquer tratamento sem o consentimento de um médico. Dietas devem ter acompanhamento de nutricionista e médico.

E.A.G.

Medicina Alternativa de A a Z. Carlos Nascimento Spethmann. Editora Natureza. Edição revisada e atualizada 2004. Uberlândia (MG).

Reader's Digest Brasil Ltda, edição 1998, Rio de Janeiro - RJ

Nenhum comentário: