Objetivo

Este site tem a finalidade de, com toda a simplicidade das pombas, prudentemente, mostrar o que o crente em Jesus espera. Reflexão. Informação. Opinião. Fotografia. Troca de ideias. Blog idealizado por Eliseu Antonio Gomes. Criado em 12 de junho de 2007.

Select the language

Arquivo | 13 anos de postagens

Pesquisar este blog

quarta-feira, 4 de agosto de 2021

Como Deus enxerga os cristãos dizimistas e não dizimistas

O assunto Dízimo é recorrente. Já escrevi bastante sobre este tema. Com firmeza penso em não voltar a ele mas sempre surge uma situação para abordá-lo novamente. Recentemente, por algumas vezes fui interpelado nas minhas redes sociais sobre o ato de entregar dízimos. Assim, venho aqui compartilhar como eu me pronunciei a respeito. 

Li a Bíblia Sagrada algumas vezes devocionalmente, orando e adorando a Deus. E fiz duas vezes leituras sistemáticas, em torno de tema específico.  O primeiro estudo que fiz foi sobre casamento e o segundo sobre dinheiro, que embarca a prática de dizimistas do passado e do presente. Por quê? Deus nos deu capacidade de raciocinar, devemos usar esta capacidade para ser útil na prática do cristianismo.

Como Deus enxerga os cristãos dizimistas e não dizimistas

O texto de 1 Samuel 16.7b é muito citado nas igrejas: "O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração." 

Deus não observa apenas nosso exterior, ele examina o interior, o Senhor não se fixa seu olhar apenas naquilo que fazemos, Ele dá importância para as nossas intenções. Assim sendo, antes de julgar o erro, sabe se houve má-fé de quem errou; antes de apreciar a atitude elogiável de alguém, busca o interesse por trás do ato bonito. E aprova e desaprova segundo o propósito do coração de cada pessoa.

O que você faz e a razão de fazê-lo

Tenho a impressão que muita gente crente não medita sobre a mensagem contida em 1 Samuel 16.7. Deveriam, porque esta situação está relacionada a tudo, inclusive aos dizimistas e não dizimistas que não se cansam de debater sobre o tema de coleta de dízimo nas igrejas evangélicas. 

Qual a sua intenção em entregar ou reter o dízimo? Se a finalidade de não entregar for egoísta e avarenta, seu destino é o inferno caso não se converta. Se os objetivos de entregar o dízimo não for para servir ao Senhor em adoração, colaborar para a manutenção do templo e participar e patrocinar missões urbanas e transculturais, Deus o vê como um mero religioso hipócrita. Desculpe o termo "hipócrita", não quis ser grosseiro, não achei termo diferente e apropriado.

As abordagens de Jesus sobre o dízimo

É fato que muitos pastores fazem uso de Malaquias 3.10 de modo totalmente errado. O livro aborda o assunto dirigindo-se diretamente aos líderes judeus e a toda nação israelita que havia abandonado os ritos judaicos. É bem mais conveniente citar Gênesis 14 e 28, e incentivar a contribuição voluntária do cristão.

É fato que Jesus nunca falou sobre dízimos dirigindo-se aos discípulos, sempre dirigiu-se aos religiosos judeus que não o seguiam, focando a Lei de Moisés. Caso Jesus quisesse dirigir-se aos seus seguidores sobre contribuir com os dízimos, faria menção sobre isso no Sermão do Monte, pregação em que está contido o resumo da doutrina cristã.

É importante também ponderar que Jesus não citou a entrega de dízimos aos cristãos em tom proibitivo. Logo, quem é contrário a essa prática nas igrejas, não o faz em paralelo com a atitude de Cristo a respeito do tema. Dízimo é assunto em aberto na Dispensação da Graça, algo que para os crentes está no nível do amor a Deus e ao próximo, sem a questão sistemática de obrigatoriedade. Exatamente como Paulo escreveu: "Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade, porque Deus ama quem dá com alegria" (2 Coríntios 9.7).

Quantas vezes Abraão entregou dízimos?

Opositores da prática de cristãos entregarem dízimos, argumentam que Abraão deu um dízimo em sua vida e nada mais que isso. E que Jacó foi dizimista pela pressão do seu próprio pacto. E tentam diminuir o valor deste assunto comentando que só existem duas passagens a respeito, que são Gênesis 14 e 28

Começando a resposta por Jacó, digo que ninguém obrigou o patriarca a fazer o pacto, foi atitude voluntária da parte dele. 

O argumento de que Abraão deu o dízimo uma única vez é falho. A Bíblia informa que o patriarca morreu aos 175 anos, e assim sendo nós entendemos que os relatos sobre sua vida, contido em Gênesis, são um grande resumo, não está contido naquele livro o passo a passo de tudo que ele fez. O que sabemos é que existe um relato de entrega de dízimo e não que foi apenas uma única entrega.

E.A.G.

Nenhum comentário: