Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

sábado, 10 de dezembro de 2011

O dia de adoração e serviço a Deus

"Quem és tu, que julgas o servo alheio? Para seu próprio senhor ele está em pé ou cai. Mas estará firme, porque poderoso é Deus para o firmar. Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente. Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor o não faz. O que come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e o que não come, para o Senhor não come, e dá graças a Deus" - Romanos 14.4-6.

"No primeiro dia da semana, estando nós reunidos com o fim de partir o pão, Paulo, que devia seguir viagem no dia imediato, exortava-os e prolongou o discurso até à meia-noite" - Atos 20.7.

A palavra para sábado em hebraico é sabbath, significa cessão, descanso. Neste dia os judeus e seus animais não deveriam trabalhar. Neste dia o judeu celebra o descando de Deus depois da sua obra da criação do mundo (Êxodo 20.8-11; Gênesis 2.2).

Qual é o dia que o cristão deve adorar ao Senhor? Sábado ou domingo?

Sobre o sábado

O sábado é dia santo para Israel, um concerto perpétuo. Gurardá-lo demonstrava submissão a Deus e honrá-lo trazia grandes bênçãos (Isaías 58.13-14).

Deus havia ordenado na Lei de Moisés, que os israelitas guardassem o dia do sábado. O propósito era que o povo tivesse um dia de descanso, momentos de adoração ao Senhor. O objetivo do sábado era que os israelitas tirassem um dia de repouso e consagração ao Criador. O povo deveria  reunir-se em assembleia solene e trazer suas ofertas, e dessa maneira manter sempre em mente que o Senhor era quem os santificava, que os israelitas eram um povo exclusivamente dEle  (Êxodo 31.12-17).

No sábado, o judeu que realmente amava a Deus se alegrava. Era o dia em que ele lembrava que Deus havia libertado a nação da escravidão do Egito (Deuteronômio 5.15; Salmo 103.1).

O sábado representa aos judeus o selo da aliança mosaica (Isaías 56.4, 6). Neste dia, os judeus deviam consagrarem-se e adorar ao Criador. Todavia, por diversas vezes, eles não cumpriram esta ordenança divina. Os israelitas constamente ignoraram o dia santo.

No tempo de Neemias não foi diferente. Após os judeus retornarem do exílio e já instalados em sua pátria, com os muros que os protegia totalmente construídos, continuaram a profanar o sábado. Bastou o servo de Deus se ausentar por um período de tempo para que o povo deixasse de observar a guarda do sábado. Neemias, protestou contra os negociantes que desrespeitavam o dia santo, não se calou, antes agiu energicamente. Num gesto de temor a Deus, ordenou que os comerciantes se ausentassem da cidade e parassem as vendas, fez com que ao pôr do sol da sexta-feira, quando tinha início o sábado, as portas de Jerusalém permanecessem fechadas, impedindo que ninguém vendesse ou comprasse. Ele deu-lhes um ultimato: "Por que passais a noite defronte do muro? Se outra vez o fizerdes, hei de lançar mão sobre vós" (Neemias 13.20,21). Com muito medo, eles foram embora.

Quem profanasse o sábado recebia o prejuízo capital, pagaria com a própria vida (Êxodo 31.15). Neemias, judeu consciente que o povo quebrava os mandamentos do Senhor em diversas ocasiões, fez com que todos considerassem que a desobediência tinha como consequência todas as sortes de maldições descritas em Levíticos 26.13-33, a fim de evitar o juízo sobre a cidade.

Sobre o domingo

Os discípulos colheram espigas no sábado. Quando Jesus foi inquirido quanto ao fato, respondeu-lhe que nenhuma lei estava sendo transgredida, pois semelhantemente Davi havia agido, quando ele e seus homens tinham fome, além disso, lembrou-lhes que era o Senhor do sábado. Cristo aproveitou a oportunidade para esclarecer que o descanso (sábado) foi criado para o ser humano e não o contrário (Mateus 1.21; Marcos 2.26-28).

A Igreja de Cristo também deve ter um dia especial no qual precisa dedicar-se integralmente a Deus.

O sábado era um sinal de aliança de Deus com Israel, porém, na Nova Aliança, a morte vicária de Jesus fez com que as exigências cerimôniais da Lei de Moisés fossem canceladas, então o  sábado judaico não é obrigatório para os crentes em Cristo. Nós não estamos sob o jugo da Lei de Moisés. A morte expiatória de Jesus nos tornou libertos da obrigação do Código Mosaico (Colossenses 2.14, 16).

A guarda do sábado é o único dos Dez Mandamentos que não se repete depois do Dia de Pentecostes (Atos 2). Embora não tenhamos a obrigação de guardar o sábado judaico, precisamos valorizar o descanso semanal. para que possamos adorar ao Senhor. É imprescindível que o ser humano tenha, ao menos, um dia de descanso semanal, com vista a conservar a saúde física, mental e espiritual. É necessário considerar que somos templo do Espírito Santo, portanto, é preciso zelar da morada do Senhor (1 Coríntios 3.16, 17; 6.19).

Ao cristão, não é o sábado, em si, que precisa ser observado, mas o princípio de separar um dia na semana para descansar e adorar ao Senhor. Este princípio deve ser levado em conta, todos nós precisamos consagrar um dia a Jesus Cristo, e neste dia estudar a Palavra de Deus e adorá-lo em reuniões de culto ao Senhor.

Para os cristãos o domingo é o dia de adoração e serviço a Deus, este princípio precisa ser considerado com seriedade. No primeiro dia da semana o Senhor Jesus ressuscitou. A Igreja Primitiva passou a reunir-se nesse dia para adorar e servir a Deus. Então, o domingo serve como um sinal entre Deus e o seu povo. A Igreja Primitiva adotou o domingo como o dia de adoração e continuou a fazer isso regularmente (Mateus 28.1; Marcos 16.2, 9; Atos 20.7; 1 Coríntios 16.2).

Como dia de adoração e serviço de fé, o domingo é um dia referencial em que o crente em Cristo deve usar para consagrar-se a Deus. por isso, nós cristãos celebramos o domingo como dia de descanso, adoração e comunhão fraternal.

Conclusão

Jesus é Senhor do sábado (Mateus 12.8). Ele sempre se posicionou contra o abuso dos fariseus a respeito da guarda do sábado, porém, nunca anulou o princípio de que o ser humano precisa de um dia para descansar.

Como cristãos, estamos agindo como os negociantes do tempo de Neemias, visamos apenas o lucro e não nos importamos com o bem-estar social e espiritual? Assim como Neemias, não devemos compactuar com o erro, e jamais ter olhar leniente para a transgressão.

O cristão tem um dia da semana para servir a Deus. Neste dia não deve preocupar-se com o aumento de seu patrimônio. No entanto, há pessoas que, ansiosas quanto ao futuro, não separam um dia sequer para descansar. E acabam desenvolvendo doenças, como a hipertensão, enxaqueca e insônia. Algumas morrem prematuramente.

A comunhão dominical dos santos traz vida e vigor tanto para a alma quanto ao corpo (Salmo 133). Como você tem tratado o seu corpo, tem reservado um dia para repousar e servir a Deus, juntamernte com seus irmãos em Cristo?

O domingo, como o primeiro dia da semana, foi o dia instituído pela Igreja Primitiva para ser o principal dia da reunião mais importante da semana. Então, como cristãos, não podemos deixar de ter, pelo menos, um dia reservado para estarmos com o Senhor, em sua casa, adorando-o em espírito e em verdade.

__________

Observação: Compilação em modo resumido dod comentários de Elinaldo Renovato à revista Lições Bíblicas, 4º trimestre de 2011, páginas 77 à 83, edição Mestre (CPAD).

Nenhum comentário:

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.