Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Viver em família ou sozinho?


Em 10 de Fevereiro, o portal IG publicou um artigo, cuja autoria é de Rafael Bergamaschi, título "Sozinhos e Felizes", sobre algumas pesquisas apontando ao aumento do número de pessoas habitando separadas de familiares e amigos.

Entendo que nenhum cristão deve abaixar a cabeça e resignado aceitar os males desse mundo. Pois, conhece a comparação que Jesus fez sobre aquele que quer segui-lo. Sal e luz. Dois elementos agentes.

O cristão recebeu como missão adotar o comportamento que opta por amar. O amor se consiste em ações positivas, na transmissão da benignidade à vida humana. Experimentamos o benefício da presença do Senhor em nossas vidas. Uma das formas de amar é fazer com que outras pessoas também conheçam o bem-estar que conhecemos.

É muito importante transmitir o estado de alegria que recebemos através da presença do Criador em nosso estilo cristão de viver. O crente em Cristo tem um chamado divino para a sua geração, o objetivo deste chamamento é para que ele ofereça a todos da sua época o sabor do Pão do Céu e a luz da Palavra de Deus.

Ao ler o artigo de Bergamaschi, veio em minha mente os seguintes textos bíblicos:

Gênesis 2.18: “Não é bom que o homem vida só...”.

Salmos 68.6: "Deus faz que o solitário viva em família...".

Provérbios 18.1: “Aquele que vive isolado busca seu próprio desejo; insurge-se contra a verdadeira sabedoria”.

Eclesiastes 4.8-10: “Há um que é só, e não tem ninguém, nem tampouco filho nem irmão; e contudo não cessa do seu trabalho, e também seus olhos não se satisfazem com riqueza; nem diz: Para quem trabalho eu, privando a minha alma do bem? Também isto é vaidade e enfadonha ocupação. Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante”.

2 Timóteo 3.3: "...sem afeição natural..”.

Nem todos que estão sozinhos vivem assim por opção pessoal, alguns casos têm a ver com opção dos outros. É difícil declarar-se um ser rejeitado e comentar sobre os motivos da rejeição.

Creio que a motivação de algumas pessoas que preferem isolar-se seja algum trauma. Eles buscam na solidão a paz e a liberdade, que em minha opinião é apenas aparente em quase todos os casos.

No artigo, uma entrevistada se mostra feliz e diz que morar sem companhia dá a ela o privilégio de ir dormir e acordar quando desejar. Dormir quando quer e acordar quando quer, é uma condição que também pode ocorrer acompanhado. Basta haver respeito no lar. Tenho isso, moro em família, o relógio não me pressiona, o sono não é interrompido pelas pessoas que convivem comigo e nem interrompo o sono alheio.

Outros, falaram sobre amigos de Internet. Realmente, nestes tempos modernos é possível socializar-se virtualmente. Mas tais relacionamentos não substituem a vida presencial. A interatividade em redes sociais não são comparáveis ao calor de troca de olhares, não é possível sentir a latência do perfume, ter os contatos de abraço, o prazer de sentir a voz do outro dentro da rotina estabelecida debaixo de um teto compartilhado.

Deus abençoe a todos em relacionamentos interpessoais.

E.A.G.

Nenhum comentário:

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.