Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Quem irá pregar para a geração do rolezinho?


Por Eliseu Antonio Gomes

O rolezinho é um fenômeno cultural.  Acontece porque a juventude que não tem espaço de convivência na cidade de São Paulo - e por isto fecham ruas e invadem shopping center. É uma consequência da popularização da Internet. Jovens pobres, moradores de periferia, plugados na rede mundial de computadores marcam local para encontrarem-se com seu cantor de funk num shopping ou rua de bairros afastados do centro da capital paulista. Aquele cantor que nunca gravou um CD por gravadora convencional, nunca foi ao programa popular da televisão e nem é tocado em rádio, no entanto faz sucesso com a garotada por causa de seu vídeo caseiro que postou no YouTube ou site similar, e dessa forma é capaz de mobilizar multidão para vê-lo.

Alguns dizem que os rolezinhos são passageiros. Pode ser mesmo que passe daqui há algum tempo. Garotos e garotas amadurecerão, se casarão, terão outras atividades futuramente. Mas, com certeza o momento presente acompanhará a vida dessa juventude. Para alguns jovens será motivo de sentimento nostálgico, para outros a razão de fazer política, escolhendo governos pelo quesito competência ou se fazendo alguém a ser escolhido no voto de seus pares porque aos seus olhos não existe representante competente. Eu acredito que do meio desses jovens incompreendidos pela classe social abastada surgirão vereadores, deputados, prefeitos e governadores.

O governo vigente, esferas municipal, estadual e federal, precisa governar bem para todas as faixas etárias e camadas da sociedade e os cristãos partirem para o evangelismo. Quem se dispõe a pregar para a geração do rolezinho?

Movimento popular de jovens sempre existiu. Aconteceu na década de 1960 com os hippies nos Estados Unidos pedindo fim da guera do Vietnã, e algo parecido por aqui nos primeiros cinco anos da década de 1970. Na dezena de anos de 1980, houve por quase todo o mundo a concentração de jovens em discotecas, quando havia aversão à política.

A vida sem Deus é ilusão: sexo sem compromisso, drogas e outras coisas fugazes. Fiz parte dessa geração 80 nas casas de dança, mas sem me envolver com as drogas ou crimes, apenas quis a diversão e a música. Fui aos bailes, promovi bailes. Eu vi conhecidos que optaram pelo envolvimento com entorpecentes e outras ilicitudes e quem se manteve distante dessas coisas. Muita gente morreu por causa de drogas, violência, crime. Outros, como eu, ouviram falar de Jesus e se converteram. 

E.A.G

Um comentário:

Everton Silva disse...

SE FAZ NECESSARIO UMA GERAÇÃO QUE CONVECE O MUNDO DO PECADO!

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.