Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

domingo, 6 de outubro de 2013

Advertências contra o adultério

Falar em pecado nos dias atuais está fora de moda. Dizem que o assunto é “coisa” de fanáticos religiosos e ignorantes. Mesmo que seja considerado impopular alertar contra a prática do pecado, a verdade precisa ser dita. 

Devemos lembrar que aquilo que a Escritura considera como pecado jamais terá aprovação divina. Pecado é tudo aquilo que prejudica a vida. Está presente de inúmeras formas em nossa sociedade. Na família, na escola, no trabalho. No Congresso, nas Câmaras Legislativas. Nos jornais, no rádio, no cinema, e de um modo avassalador na televisão e na Internet. 

A sexualidade  

Tudo o que Deus criou é bom e isso inclui a sexualidade. O sexo, em si, nunca foi pecaminoso. Deus o estabeleceu para ser desfrutado no matrimônio antes que o pecado entrasse no mundo. 

Salomão aconselha os homens a se afastarem da imoralidade. No capítulo 5 de Provérbios, escreveu duas perguntas, sobre a importância de ser fiel, com o objetivo de suscitar reflexões em cada leitor das Escrituras Sagradas. “E porque, filho meu, te deixarias atrair por outra mulher, e te abraçarias ao peito de uma estranha?” - Provérbios 5.20. 

Adultério 

Na Bíblia, o adultério é e continuará sendo pecado. Em Êxodo 20.14, o Deus Eterno ordena firmemente: não cometa adultério. Encontramos no Antigo e Novo Testamentos sérias advertências contra a infidelidade conjugal (Deuteronômio 5.14; Romanos 13.9; Gálatas 5.19). 

O adultério viola o padrão santo estabelecido por Deus para o casamento (Êxodo 20.14). Até mesmo o adultério praticado em segredo e mantido no sigilo fica plenamente desmascarado diante do Deus que julga com justiça.

Em Provérbios 5.1-2 somos esclarecidos que o adultério é um grave problema de relacionamento. O adúltero é uma pessoa que tem comportamento confuso, que mistura o certo e o errado, a conduta digna com a indigna. 

Precisamos estar atentos. As consequências da infidelidade são devastadoras. Os lábios da mulher em relação extraconjugal podem parecer destilar favos de mel. Na realidade, aquilo que começa de maneira prazerosa, como doce desejo, não demora a amargar como o absinto (Provérbios 5.4). Quando os instintos do adúltero ficam satisfeitos, sobressai o remorso, o complexo culposo, o medo, a frustração, a consciência que a relação ilícita pode ser tudo menos amor. No momento que o encontro termina, só resta tristeza e amargura. Ponto em comum em tudo isso é uma fome que jamais se aplaca, deixa o indivíduo mais vazio. 

A traição conjugal produz feridas profundas na alma, o esmagamento do cônjuge vitimado, é uma opção destrutiva para toda a família, pois provoca a disfunção familiar. Ela é perigosa, para a Igreja do Senhor e para a sociedade de um modo geral. Causa destruição de reputações, os custos permanentes pesam muitíssimo mais na balança do que a satisfação momentânea. 

Tentação e vigilância 

Todos nós estamos sujeitos a ser tentados. Salomão reconhece os atrativos poderosos e torturantes do adultério, que finge oferecer prazer e satisfação sexuais com poucos riscos.  

O sigilo do pecado escondido, a maquinação para manter o adultério em segredo e a natureza proibida do ato só parece aumentar o seu poder irresistível de atração. 

Na televisão brasileira existe uma sensualidade legal, mas nem por isso deixa de ser imoral. Programas de auditórios são sempre realizados com a presença de modelos seminuas. É considerado legal para a sociedade e até mesmo para o Estado, mas é imoral diante de Deus. O sexo se tornou o deus deste século. Muitos tentam viver a “adrenalina” provocada pela concupiscência de uma forma ilegítima. Escândalos sexuais, práticas sexuais ilícitas ocorrem em escalas geométricas. Vive-se em desejos que transformam pessoas em viciadas em pornografia, masturbação, necessidade excessiva de relações sexuais, pedofilia e outras formas de perversões. 

Quando se perde a reverência a Deus, a insensatez toma conta do coração humano. Não deixe esse tipo de entulho acumular em sua mente. 

A tentação na esfera da virtualidade 

Ao nascer, fomos dotados de instintos específicos, sem os quais nossa sobrevivência seria impossível. O impulso sexual é uma tendência natural que caracteriza a preservação da espécie. Depois da queda de Adão e Eva, o ser humano pecador passou a deturpar esse impulso dado pelo Criador, gerando as muitas complicações que conhecemos nos dias atuais. 

O Pr. José Gonçalves escreveu no livro Sábios Conselhos para um Viver Vitorioso: “Quando me converti ao evangelho nos anos oitenta, o acesso a uma revista masculina era muito difícil para quem era menor de idade. Além da embalagem plástica que protegia o periódico, havia também uma tarjeta onde se lia: ‘proibido para menores de 18 anos’. Com o advento da Internet esse fraco muro de proteção foi implodido e o acesso ao caudaloso rio da pornografia está à disposição das crianças, adultos e idosos. As redes sociais potencializam em muito a possibilidade de alguém se prender nas redes da tentação de casos extraconjugais. Homens e mulheres que estão vivendo alguma desilusão no casamento encontram uma porta aberta para a aventura sexual no Orkut, Facebook e outras redes sociais.” 

E ainda mais: “A Internet pode ser usada tanto para o bem quanto para o mal, dependendo de quem faz uso dela. Não devemos desprezá-la por causa dos possíveis usos equivocados. Não culpamos Gutemberg pelas revistas pornográficas. Será que os automóveis são uma invenção ruim porque algumas pessoas provocam acidentes?” 

Conclusão: alegre-se no casamento 

Muitos casamentos fracassam porque são carentes de afeto e amor. Salomão nos aconselha a vivermos a nossa sexualidade com intensidade, mas dentro do casamento. Provérbios 5.15 trata do relacionamento íntimo entre marido e esposa: “bebe a água da sua cisterna.” Água é símbolo de vida. O ser humano não pode viver sem ela. Assim também é o relacionamento sexual no casamento. Ele é importante e traz vida ao matrimônio. 

Para proteger o seu casamento e torná-lo forte contra as armadilhas e tentações do adultério, o Livro de Provérbios aconselha: “alegra-se com a mulher da tua mocidade” (Provérbios 5.18). É de bom juízo e muita sabedoria alegrar-se pelo que se tem e não ficar se lastimando pelo que se gostaria de ter. Cuide com carinho do seu jardim afetivo. Da fonte cristalina do verdadeiro amor brota a fonte da alegria e da fidelidade.

Provérbios não diz para você manter um relacionamento frio, monótono com a esposa. Diz para você investir em uma vida agradável e plena com ela, divertir-se e desenvolver uma profunda intimidade. Tal investimento fará com que tenham um bom e divertido relacionamento sexual, companheirismo, bom humor, respeito e compreensão. Torna melhor a união. Investir na felicidade a dois é uma das mais poderosas armas de proteção ao seu casamento, faz com que dure satisfatoriamente até a morte.


__________

Compilações:
Bíblia de Estudo Vida, edição 1998, página 985 (Editora Vida);
Bíblia da Família - estudos de Jayme e Judith Kemp, edição 2007, página 556 (Sociedade Bíblica do Brasil);
O Provérbio Nosso de Cada Dia – Oswaldo Alves – 1996 ( Editora Candeias);
Revista Ensinador Cristão, ano 14, nº 56, página 37 (Casa Publicadora das Assembleias de Deus).
Sábios Conselhos para um Viver Vitorioso – José Gonçalves - 1ª edição 2013, CPAD.

Um comentário:

Pr. Genivaldo Tavares de Melo disse...

Apreciei muito o comentário a respeito do assunto.

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.