Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

O socorro de Deus para livrar o seu povo


O-socorro-de-Deus-para-livrar-o-seu-povo-a-historia-da-rainha-Ester-licao-11-Elinaldo-Renovato-Licoes-Biblicas-EBD-CPAD-professor-O-Deus-de-toda-provisao-esperanca-e-sabedoria-divina-para-a-Igreja-em-meio-as-crises-4-trimestre-2016
Por Eliseu Antonio Gomes

Deus é fiel  no cumprimento de todas as suas alianças e promessas.

A providência de Deus na história.

O termo "providência" tem origem no latim: "pro" (antes); "videntia" ver. A definição do substantivo feminino "providência", aos dicionários da Língua Portuguesa, esclarece que "providenciar" significa "tomar medida antecipada com a finalidade de evitar uma ação futura que possa causar dano ou promover o mal"; também conta que "é a atitude cuidadosa de realizar ação concreta para a obtenção ou realização de algo, antepondo-se aos fatos de maneira eficaz".

O livro

Explicando de maneira simples, o livro de Ester pode ser considerado uma aventura romântica, com um vilão e até um concurso de beleza feminina. Apesar de parecer um conto de fantasia, tem seu lado sério, trata-se de uma obra que apresenta um relato de perseguição, uma surpreendente libertação. Mostra Deus trabalhando nos bastidores para resgatar o seu povo.

O livro de Ester tem um fato incomum: não há sequer uma menção a Deus. Isso e o fato de Ester haver se casado com um não judeu fez com que muitos rabis e mestres judeus ficassem receosos sobre a inclusão deste livro no canon das Escrituras Sagradas.

Hadassa e Mardoqueu

Mardoqueu (Mordecai em algumas traduções bíblicas), era pai adotivo de Ester. Nasceu na tribo de Benjamin, filho de Jair. Sem dúvida, era um homem que sonhava com a liberdade da sua gente. Ele cria que Deus faria algo que fosse capaz de romper com os obstáculos que impediam essa libertação. Vivia na fortaleza de Susã durante o exílio do povo judeu, no reinado de Xerxes.

Território de Israel: murta do campo floresce e frutifica.

Ester, nome persa, significa "estrela", é derivação de Isthar, nome de uma deusa babilônica. Seu nome hebreu era Hadassa, cujo significado é "murta".

A murta é uma planta de folhagem sempre verde, produz pequenas flores brancas de cheiro agradável, que para muitos é um perfume melhor do que o das rosas. Quando maduro, seu fruto é vermelho. Os ramos dessa planta são aproveitados na Festa dos Tabernáculos; foi citada pelo profeta Isaías junto com o cedro, oliveira, acácia e sarça (Neemias 8.15; Isaías 41.19; 55.13).

Ester era de origem benjamita assim como era Mardoqueu. Jovem graciosa que correspondeu à expectativa do Deus de Israel, cujos pais morreram na época do exílio babilônico. Possuía valores morais e espirituais que serviram para torná-la um instrumento de justiça divina para salvar sua gente. Quando criança e órfã, foi educada por Mardoqueu, seu primo (Ester 2.5.7).

Por meio do estudo da vida de Ester, que o Senhor usou providencialmente, temos a possibilidade de constatar quão grandemente Deus é fiel em todas as suas promessas. Ele preservou o seu povo, livrando-o da morte por meio dela.

O rei persa

Xerxes, rei da Pérsia, em hebraico Assuero, é retratado no livro de Ester como um rei poderoso, governante de um grande império "que reinou desde a Índia até a Etiópia, sobre centro e vinte e sete províncias" (Ester 1.1). Esta é claramente uma descrição precisa pelo menos da primeira parte de seu reinado. Além da menção no livro de Ester, Xerxes é mencionado em Esdras 4.6.

Xerxes foi um dos maiores reis do Império Persa, governou de 486 a 465. Era filho de Dario I (chamado de o Grande). Sufocou brutalmente todas as rebeliões e atacou a Grécia, onde incendiou a cidade de Atenas. Os gregos, porém, contra-atacaram e, em 466 a.C., empurram os persas de volta à Ásia Menor. Sua figura, neste episódio de guerra contra os gregos, está representada no cinema de Hollywood, no filme 300, dirigido por Zack Snyder, sendo o brasileiro Rodrigo Santoro o ator que interpreta seu personagem. Xerxes foi assassinado em 405 a.C., após perder grande parte do império.

A recusa de Vasti (1.1-12). A história de Ester começa na corte de Xerxes, rei da Pérsia, o senhor absoluto do maior império da mundo. A narrativa inicial se passa no palácio de inverno, em Susã. Ao final de um banquete que durou seis meses, o rei ordena que a sua bela rainha, Vasti, se apresente diante dele para que ele a exibisse aos convidados. Ela se nega a comparecer.

A recusa de Vasti em obedecer as ordens de Xerxes foi vista como um precedente para as mulheres de todo o  império. Xerxes se divorciou de Vasti e emitiu um decreto: as mulheres deveriam obedecer a seus maridos. O decreto reflete um princípio profundamente enraizado ainda hoje no Oriente Médio. O marido governa a casa. Somente ele tem o direito de iniciar ou dar o divórcio. Os filhos do matrimônio pertencem ao marido e, quando o divórcio acontece, ele os mantém. O desafio de Vasti a Xerxes foi assim uma ameaça à ordem social estabelecida.

Ester se torna rainha (2.1-18). Furioso, Xerxes destitui Vasti do trono e promove um concurso de beleza para encontrar uma nova esposa. E a vencedora é uma jovem chamada Ester. Ela é judia, mas segue os conselhos do seu primo Mardoqueu e esconde este fato. 

Por que Ester foi colocada no palácio real de Assuero? O Senhor colocou Ester no palácio, tornando-a rainha com o propósito de que ela pudesse intermediar em favor do seu povo. O rei persa nomeando Ester como rainha, ilustra como Deus pode mudar o coração dos ímpios para que eles cumpram seus propósitos (Provérbios 21.1).

Embora Ester tivesse sido escolhida e coroada rainha do grande império persa, não se orgulhou, nem se envaideceu por causa da sua posição social e poder que acabara de receber. Não desprezava os conselhos de Mardoqueu, de condição humilde, nem menosprezou sua tradição espiritual. Ao contrário, manifestava um espírito de mansidão, humildade e submissão após tornar-se rainha, como sempre fizera antes,

Na posição de rainha, Ester tinha condições de ajudar o seu próprio povo, o que se tornou necessário cinco anos mais tarde, quando a crise chegou até os israelitas. Eles corriam sério risco de serem exterminados, mas isto não aconteceu porque o Senhor é fiel, e mostrou-se presente livrando o seu povo da morte.

Mardoqueu salva o rei (2.19-23). Com a ajuda de Ester, Mardoqueu consegue alertar o rei sobre uma conspiração de assassinato, e seu aviso sobre o golpe é escrito nos registros oficiais do reino.

A conspiração de Hamã (3.1-15). Hamã, um alto oficial persa, insiste que o povo deveria curvar-se diante dele. Mardoqueu se recusa a isso, e Hamã planeja vingar-se. Ele manipula o rei e consegue que ele assine um decreto autorizando que todos os judeus sejam executados.

Mardoqueu pede ajuda (4.17). Desesperado, Mardoqueu pede a Ester que interceda junto ao rei pelo bem de seus compatriotas judeus. Ester espera o momento certo de falar.

Hamã constrói uma forca (5.1-14). Uma noite, Xerxes não consegue dormir e, para passar o tempo, ordena que leiam para ele os registros oficiais. Durante a leitura, ele é lembrado da boa ação de Mardoqueu e decide recompensá-lo. Ele convoca Hamã, o qual já havia se preparado para a morte de Mardoqueu, para que fizesse os preparativos da homenagem.

Por haver recebido o alerta sobre a trama do golpe, em dias futuros Xerxes decidiu transformar Mardoqueu na segunda maior autoridade de seu reino (Ester 10.3).

Xerxes honra Mardoqueu (6.1-12). Hamã se sente profundamente humilhado quando descobre que Modecai seria honrado.

Ester salva seu povo (7.1-10). Durante um banquete, Ester conta ao rei sobre a terrível situação em que ela e o seu povo se encontravam e revela os planos de Hamã. O rei manda enforcar Hamã na forca que ele próprio havia planejado usar para matar Mordecai.

Hamã foi enforcado como resultado da justa intervenção de Deus.

A defesa dos judeus (8.1-17). O decreto de Xerxes continuava em vigor, Nem mesmo o próprio monarca poderia rescindir a resolução oficial que havia assinado para atacar os judeus. Porém, em resposta a solicitação de Ester, foi redigido um segundo decreto no qual ele dá permissão para que os israelitas se defendam, outorga aos judeus o direito de fazerem oposição armada e de se protegerem no dia decretado para sua destruição.e assim, os judeus são salvos.

Em geral, Deus não realizou o livramento do seu povo, sem a participação deste; porém, Ele está sempre com o seu povo para lhe prover o livramento. Aqui, o livramento de Israel resultou da ação de Deus, com a cooperação de crentes fieis. Deus não só capacitou os judeus a se defenderem, como também fez os habitantes das terras temerem os judeus (Ester 9.2). O povo de Deus tornou-se mais respeitado devido à conspiração maligna de Hamã.

A Festa do Purim (9.20-32). No dia seguinte, eles fazem uma festa para celebrar seu livramento. Esse livramento é festejado na Festa do Purim, que é comemorada pelos judeus até os dias atuais. No entanto, tal celebração não foi instituída por Deus.

O livro de Ester é popular entre os judeus porque é lembrado durante esta festa judaica do Purim, que se tornou uma celebração nacional. A popularidade do livro entre os judeus é de fácil compreensão, o relato contido nele, de perseverança e vitória, anima os milhares de judeus que vivem espalhados pelo mundo e que não raras vezes foram perseguidos por aqueles que queriam acabar com eles ao longo da história mundial. A volta por cima de Mardoqueu sobre Hamã tem dado força a muitos que atravessam por circunstâncias parecidas no decorrer dos séculos.

Postagem paralela: Jeová é Deus festeiro  .

Conclusão

Todos os dias, um incontável número de pessoas são acordadas com o alarme de um rádio-relógio que toca em volume alto. Elas despertam para o início de um novo dia ouvindo notícias de assassinatos durante a noite, escândalos nos altos escalões do governo, tempestade que se aproximam, acidentes de carro e trânsito lento, quedas no mercado de ações, pragas invadindo lavouras e pestes se alastrando em centros urbanos. Porém, diante de todos esses "Hamãs", existe o Altíssimo, que é maior do que a morte, superior aos problemas súbitos no mundo da política; seu poder supera a força de todos os desastres da natureza, não é impedido de seguir por causa de engarrafamentos de automóveis, não é extinto em incêndios, jamais é acometido por doenças e nunca conheceu fracassos.

Através da providência divina, os desígnios do nosso Deus, em quem repousa todo o poder, são cumpridos, para que suas promessas e alianças sejam executadas de maneira absoluta em nossas vidas. Ele é fiel, livra o seu povo de toda espécie de crise.

Não permita que os problemas impeçam você de seguir em sua trajetória, não dê lugar ao desânimo em seu coração. As promessas do Senhor em sua vida não serão esquecidas, creia que Ele cumprirá o prometido, mesmo se você estiver atravessando por situações em que tudo o empurra ao fim e Deus pareça estar distante da sua vida. Tenha bem viva em sua memória Romanos 8.28: "Todas as coisas cooperam para o nosso bem".

Enfim, aprendemos com a história de Ester que nada em nossas vidas acontece por acaso. Deus usa as decisões espontâneas das pessoas, como usou o arrojo de Ester e de seu primo Mardoqueu, para proteger o seu povo (Ester 4.4). Deus colocou Ester e Mardoqueu em elevadas posições próximo a Xerxes e agiu por meio deles para proteger os judeus. Assim, uma vez mais a soberania do Senhor sobre as nações do mundo foi testemunhada, na maneira como salvou seu povo do extermínio.

E.A.G.

Fotografia da planta murta extraída do site Tiuli,com - http : / /www .tiuli  . com / forum / forum _ posts . asp ? tid = 8193 

Subsídios:
A Bíblia de Maneira Simples, Nick Page, páginas 38-38, 1ª edição 2014, Barueri/SP, (SBB).
Do que você tem medo? Derrotando seus medos pela fé. Dr. David Jeremiah, página 11, 1ª edição 2016, Rio de Janeiro - RJ (CPAD)
Lições Bíblicas - O Deus de toda Provisão, Esperança e sabedoria divina para a Igreja em meio às crises, Elienai Cabral, 4º trimestre de 2016, páginas 78-81, Rio de Janeiro (CPAD). 
Quem é Quem na Bíblia - a História de Todas as Personagens da Bíblia, Paul Gardner, páginas 196, 467, 655, 19ª reimpressão 2015, São Paulo (Editora Vida).
O Deus de Toda ProvisãoElienai Cabral, páginas 128 e 129, 1ª edição 2016, Rio de Janeiro (CPAD).
Pequena Enciclopédia Bíblica página 371, 30ª impressão 2012, Rio de Janeiro (CPAD).  

Nenhum comentário:

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.