Objetivo

Este site tem a finalidade de, com toda a simplicidade das pombas, prudentemente, mostrar o que o crente em Jesus espera. Reflexão. Informação. Opinião. Fotografia. Troca de ideias. Blog idealizado por Eliseu Antonio Gomes. Criado em 12 de junho de 2007.

Select the language

Arquivo | 13 anos de postagens

Pesquisar este blog

sexta-feira, 15 de março de 2013

EBD 2013 Eliseu e a escola de profetas

No Antigo Testamento, a figura do profeta era de alguém que tinha revelação da parte do Senhor, por meio de visões, sonhos, profecias. Ele intercedia, protegia e ensinava o povo hebreu executando a Palavra de Deus, falando em nome do Senhor.

Nesta breve postagem, temos a oportunidade de conhecer superficialmente o ministério do profetas, que. era um estilo de vida disciplinada e não um trabalho.

Desde os tempos mais remotos, o ministério profético não foi confiado pelo Espírito apenas aos homens. Em 2 Reis 22.14 tomamos ciência que houve em Jerusalém uma profetiza, casada, cujo nome era Hulda.

Em 1 Samuel 10.5, encontramos a descrição de um grupo de profetas. A narrativa bíblica informa que não apenas profetizavam, eles entoavam louvores usando saltérios, tambores, flautas e harpas.

Parecia ser comum que um profeta fosse treinado por outro. É o que encontramos na relação de Elias e Eliseu; depois entre Eliseu e Geazi e um alojamento de jovens (1 Reis 19.19-21; 2 Reis 4.12; 6.1-5). Eliseu exercia um papel de liderança entre a juventude, instruía e educava nas coisas do Senhor. É bem provável que a estreita proximidade entre eles, além de adorar a Deus, fosse como o objetivo de treinamento, o exercício de discipulado. Os mais experientes treinavam os mais jovens. E possivelmente tinham a incumbência de escribas, copiavam  lei.

O ministério do ensino não ficou restrito aos tempos neotestamentário. Em Atos 19.8-11, Lucas informa que o apóstolo Paulo usava os espaços de sinagogas e de uma escola de um tal de Tirano, nesses locais ele ensinava o Evangelho por meio de debates sobre a Palavra de Deus, fazendo também sinais e maravilhas nesses ambientes.

As famílias e a Igreja

Antes da instituição Igreja, Deus criou a instituição família. E nas famílias o relacionamento deve existir com ensino cristão transmitido com amor dos pais aos filhos.

• Provérbios 22.6 - "Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele."

• Efésios 6.1-4 - "Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa; para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra. E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor."

• Colossenses 3.20-21 - "Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto é agradável ao Senhor. Vós, pais, não irriteis a vossos filhos, para que não percam o ânimo."

O ensino das Escrituras Sagradas

Todos estamos sujeitos a errar, reconhecer isso é algo que só quem tem a humildade de Cristo é capaz de fazer. Sendo humilde, o crente aceita a correção do ensino e apura o discernimento espiritual e torna-se capaz de diferenciar entre erros e acertos.

Na questão Igreja, como Corpo de Cristo, um organismo vivo e invisível, é importante ter em mente que a vida cristã é um processo espiritual, que tem início quando o crente passa pela experiência do novo nascimento. Depois de nascer em Cristo, o crente experimenta a fase de crescimento, quando o leite da Palavra de Deus é oferecido e se o crente aceita de bom grado e a  absorve, então amadurece.

O cristão que deseja aprender a Palavra, por intermédio da misericórdia divina, alcança a estatura de Jesus Cristo. Na carta aos Efésios (4.11-14) está claramente expressa a vontade de Deus para todos os cristãos. Paulo fala sobre o comportamento do crente como menino e o interesse do Senhor pelo seu crescimento, até chegar a ser um crente-adulto-na-fé, isto é, na altura espiritual de Cristo.

E.A.G.


Atualização: 20 de março de 2013 - 13h51

Nenhum comentário: