Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Cabo Bruno - semeadura e colheita

Florisvaldo de Oliveira, conhecido como Cabo Bruno, foi um ex-policial militar que ganhou fama na década de 1980 por executar pessoas, supostamente criminosos, cortando suas cabeças na cidade de São Paulo. Agia como justiceiro durante suas folgas como policial, liderando um bando com de doze pessoas - inclusive oficiais, embora alguns digam que praticava os crimes sozinho.

Após preso, admitiu ter matado mais de 50 pessoas, ter preferência de ceifar a vida de pessoas tatuadas, e que planejava matar o arcebispo Dom Evaristo Arns, por discordar de sua postura quanto aos Direitos Humanos.

Foi condenado a 113 anos de prisão, fugiu três da cadeia e foi recapturado. Converteu-se ao cristianismo na Penitenciária Dr. José Augusto César Salgado, em Tremembé, São Paulo, onde passou a fazer pinturas de quadros em pinturas de óleo sobre acrílicos e engordar. Se transformou em pastor evangélico.

Em 1988, casou-se com a mulher que o evangelizara. Em 1989 conseguiu que a Justiça lhe concedesse cumprir a pena em regime semiaberto e em seguida proibido as saídas da prisão. Em 22 de Agosto de 2012, recebeu liberdade, após 27 anos preso. A soltura ocorreu porque o Promotoria de Justiça se baseou em lei que prevê liberdade a presos com mais de 20 anos de sentença a cumprir, por seu bom comportamento, por elogios de funcionários da cadeia quanto a sua conduta na unidade prisional.

Em 26 de Setembro de 2012, após tomar posse como pastor-dirigente em uma igreja no município de Aparecida, interior de São Paulo, voltou para casa dirigindo um automóvel em que estava sua família. Segundo depoimento da família, ao chegar no domicílio, encontrou com dois homens a pé que o aguardavam parados próximo de sua casa. Ele disse as pessoas que com ele estavam "é comigo", abriu a porta e desceu sem esboçar tentativa de fuga. Estava desarmado. As duas pessoas não anunciaram assalto, dispararam aproximadamente 20 tiros de pistola calibre 380 e ponto 40 e ele morreu no local. A família nada sofreu, apesar de um dos tiros acertar a lataria do carro em que estavam.

As pessoas da vizinhança e da igreja que ele frequentou ficaram surpresas, disseram que ele era alguém que demonstrava muita fé e gostava de pregar sobre o perdão de Deus e dar bons conselhos a todos, não sabiam de seu passado criminoso.

Diz-se que ele é responsável pela conversão ao cristianismo de Lindemberg Alves, o assassino de Eloá Cristina Pimentel, que conheceu na Penitenciária Dr. José Augusto César Salgado, em Tremembé.

A seguir, trecho de um artigo que eu escrevi no dia 24 de Setembro passado, dois dias antes do Cabo Bruno ser assassinado, quando abordei a questão da semeadura e colheita na vida dos cristãos.

"Jesus Cristo revelou a Ananias o futuro de Paulo: "Disse-lhe, porém, o Senhor: Vai, porque este é para mim um vaso escolhido, para levar o meu nome diante dos gentios, e dos reis e dos filhos de Israel. E eu lhe mostrarei quanto deve padecer pelo meu nome" - Atos 9.15-16. 
É fato: Jesus Cristo avisou que no mundo teríamos aflições (João 16.33). Então nenhum cristão deve viver em ilusão, acreditar na falácia de que não terá problemas porque está convertido a Cristo, como se a vida cristã fosse um "mar de rosas". Mas, é preciso entender a razão de precisar passar algumas fases da vida com o coração aflito. 
A experiência paulina contém uma lição preciosa a todos nós. Os episódios das prisões de Paulo são partes da colheita de muita coisa ruim que ele plantou antes da sua conversão. Antes de se converter, ele foi responsável pela orfandade de muitas crianças, viuvez de esposas, por pais e mães enterrarem seus filhos (Atos 9.5). O apóstolo sabia disso, e escreveu o seguinte: "Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido" - Gálatas 6.7-9. 
Quem plantar em sua vida abrolhos - planta que dá frutos espinhosos -, não ore a Deus pedindo para Ele trocar sua colheita ruim por uvas deliciosas ou outra espécie de fruta palatável. Ele é justo e não responderá este tipo de oração. 
O próprio Filho do Altíssimo alertou a Pedro sobre o resultado da semeadura, quando o discípulo fez uso da violência contra o soldado Malco: "Então Jesus disse-lhe: Embainha a tua espada; porque todos os que lançarem mão da espada, à espada morrerão." 
No livro de Provérbios está escrito que "os justos se libertam pelo conhecimento" (11.9). Faça uma boa plantação e terá resultados prazeirosos. O cristão deve ser justo e praticar o bem para colher coisas boas, nenhum injusto receberá bênção por cometer injustiças. O injusto deve esperar apenas o galardão das suas injustiças (2 Pedro 2.12-14). 
Ninguém deve acreditar que a excelente colheita que o próximo recebe poderá ser transferida para si e que a sua colheita, de péssima qualidade, é transferível aos outros, que dela não são responsáveis pelo plantio. Cada um recebe a porção que plantou. Deus é justo, não permite que o plantador da oliveira perca o direito de receber o produto de sua colheita, e em troca das olivas receba espinhos, plantadas por decisão de seu vizinho inconsequente."

E.A.G.

10 comentários:

Rodrigo Alves disse...

Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.
2 Coríntios 5:17

Graça e Paz Eliseu,

Infelizmente, ou felizmente, Paulo neste verso fala de Deus para os homens e, não, dos homens para os homens. O passado para Deus é esquecido, mas para os homens, nem sempre. Devemos fazer sempre a vontade de Deus pois nesse mundo o pecado é uma erva daninha que se não destruirmos, seremos destruídos por ela.
Que este cidadão tenha tido uma conversão verdadeira e que nova criatura tenha se tornado.
Grande Abraço

Antonio Carneiro de Sousa disse...

É verdade, Deus perdoa os pecados, mas o pecador arrependido sofrerá as consequências dos seus atos. Foi assim com o rei Davi, conforme lemos na Bíblia.

www.causasganhas.blogspot.com

lourival marcelo de oliveira disse...


E lamentavel mas a biblia nos fala que tudo que plantamos vamos colher
Deus perdoa o pecado que no comentemos mais ele não tira a consequecia do pecado e a tepo para tudo
Vamos ora pela familha do pastor


soavredade.blogspot.com

Nascido da Água e do Espírito disse...

A Paz a Todos!
Bom... Sobre esse assunto é difícil conjecturar; Está escrito que tudo é permssão de Deus segundo seus propósitos; Se diz que não cai uma folha seca ao chão se não for da vontade de Deus; O que podemos falar desse acontecimento? Se dissermos que o Cabo Bruno Merecia, estamos julgando nosso próximo e se Dissermos que DEUS permitiu que acontecesse isso com ele, talvez estaríamos duvidando do amor de Deus, lembremos de uma coisa: A vontade de DEUS TRANSCENDE nossos pensamento, Deus não pensa como pensa o Homem, por isso irmãos tomemos cuidado com julgamentos humanos; Só Deus conhecia o coração daquele homem, e só o altíssimo sabe dos seus próprios planos para cada um de nós que vivemos debaixo dos céus; Pois diz a Palavra: Tudo tem um tempo e para tudo que se faz debaixo do céu tem sua Hora (Eclesiastes 3:1); E lembrem-se: Até do que falamos prestaremos contas a Deus. A Paz de DEUS a Todos!

Pra. Kelly Cristina Cardoso disse...

A vida é feita de escolhas e as consequencias da vida são frutos de nossas escolhas. Portanto, antes de tomar qualquer atitude devemos pensar muito para que as consequencias ruim não venham nos destruir.

Osvaldino Monteiro disse...

Vocês acreditam mesmo que há justiça neste mundo de seres caídos? Deus disse que a justiça dos homens é como um trapo de imundícia. O Cabo Bruno certamente plantou e colheu. Mas que dizer das pessoas que não plantam e acabam tendo que colher o que não plantaram? Quando colhem bons frutos tudo bem é uma bênção, mas o problema é que muitos neste mundo de corruptos e corruptores colhem o que ninguém deseja colher. Há políticos que fazem mais vítimas que o Cabo Bruno fez em toda a sua vida de "justiceiro", mas que acontece com eles? Nada. Eles continuam por aí plantando misérias, insegurança, insatisfação, e sugando tudo o que há de melhor no Brasil. A diferença é que o Cabo Bruno se arrependeu, conheceu as verdades bíblicas e creu em Jesus, e ainda teve tempo de semear o amor. Seus assassinos estão por aí, não sabemos como nem até quando, mas o irmão Bruno está muito melhor que qualquer um de nós “terráqueos”, ele já está com Jesus.

Regina Helena disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lucas Filho disse...

Olá a todos,

Acima de tudo vejam que temos uma visão macro de toda a situação.

Deus conhece tudo nos mínimos detalhes (inclusive o nosso coração). E se eu acredito que Deus sabe de tudo, verdadeiramente isto (a morte do Cab. Bruno) está certo.

Sempre olhamos para este mundo com os nossos "olhos mortais". Quantas vezes algo em nossas vidas pareceu ruim e depois vemos a glória de Deus?

O acreditar em Deus incondicionalmente nos dá a resposta para esta situação. Deus pode/ sabe/ faz tudo. Ninguém, pastor, irmão, presbítero, diácono, ímpio, etc... vai ter a resposta certa, pois se tivessem seriam "Deus".

Deus está no controle de tudo e acredito nisto, o que aconteceu - embora fique triste pela família e amigos, foi por uma causa maior. O problema é o nosso conceito de morte. Uma vez uma irmã se afastou da igreja por causa da morte do avô e da tia. Ambos eram evangélicos e esta irmã culpava Deus por todo o sofrimento. Fiz um questionamento - acredito inspirado por Deus, que mudou a sua opinião:

"Se a sua tia e seu avô acreditavam em Deus e gostariam de alcançar o céu em suas ressurreições, então eles morreram felizes não acha? E se hoje estiverem com Jesus imagine a felicidade deles. Ora, se eles estão felizes com as suas escolhas por que você está triste? Se eles pudessem falar com você, ficariam felizes ou tristes com o seu afastamento de Deus?"

Depois disso ele retornou à igreja.

O tempo de vida do Cap. Bruno foi usado - no bom sentido, para levar a palavra de Deus para certas pessoas - segundo o plano de Deus. Se o Cap. Bruno acreditava verdadeiramente em Deus, então imaginem a felicidade do mesmo neste momento ou em sua ressurreição.

Ps: Vou publicar este texto em meu blog: http://revistaevangelico.blogspot.com.br/

suely ceruci disse...

que espetacular exposição !!!!...
mutas pessoas acreditam,inclusive alguns cristãos, que o fato de seguir e conhecer a Cristo nos torna imune aos resultados das coisas ruins feitas por nós antes de conhecê-lo.
Temos que responder por nossos atos e as consequencias do livre arbítrio!
Suely

http://sbertoncini.zip.net
mensagens bíblicas a cada dia

Shalom Paz disse...

Prezado,
vc crê no perdão de Deus? Não punha Deus como cúmplice desse crime,porque Deus perdoou o Cabo Bruno.

"Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito". Romanos 8:1.
Paulo apoia este grande fato de "nenhuma condenação" com três outros: "Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós". Romanos 8:34. Estes três fatos são: a Morte de Cristo, a Ressurreição de Cristo e a Intercessão de Cristo.

O Cabo Bruno sofreu as consequências de seu passado,mas não foi Deus quem puniu.O cabo Bruno aceitou Jesus como seu Salvador. Tá bom para vc ou vc quer mais.

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.