Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

sexta-feira, 16 de junho de 2017

O inferno é somente uma metáfora usada para a sepultura?


"Quando o vi, caí a seus pés como morto. Porém ele pôs sobre mim a mão direita, dizendo: Não temas; eu sou o primeiro e o último e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno" - Apocalipse 1.18.

Há três palavras que na Bíblia que na Bíblia são traduzidas como "inferno":

Gehenna (do grego): o lugar de castigo, de tormento (Mateus 5.22, 29; 10.28; Tiago 3.6).

Hades (do grego): a morada dos mortos (Mateus 11.23; 16.18; Lucas 23.23; Atos 2.27).

Existem pessoas que aceitam o conceito de inferno como lugar de castigo, porém elas acreditam que também o castigo será um dia aniquilado - ou seja, a existência consciente acabará por completo. Essas pessoas não conseguem admitir que o castigo dos pecadores seja recebido de forma consciente e eterna. Se tivessem razão a esse respeito, pessoas como Adolf Hitler, responsável pela morte de milhões de pessoas, estaria recebendo como punição apenas um sono eterno. O destino delas seria simplesmente retornar ao estado de não-existência no qual estavam antes de nascer, em que nem mesmo percebem que estão sendo castigada.

Contudo, a Bíblia retrata uma história completamente diferente. O homem rico que foi para o inferno (Lucas 16.19-31) estava consciente. Ele podia sentir dor e sede, além de experimentar o remorso. O homem rico não estava dormindo na sepultura, ao contrário, estava num "lugar de tormento".

Se o inferno é um lugar onde não há consciência de nada do que ocorre, ou onde não há possibilidade de haver a consciência do que ocorre, onde não se sente nada, se for simplesmente uma referência á sepultura para onde vai quem não crê eme Jesus como Senhor e Salvador após a morte, então, as afirmações de Jesus sobre este lugar não fazem qualquer sentido. Cristo chegou a afirmar que se a mão, o pé ou o olho o fazem pecar, melhor é arrancá-los fora do que permanecer com eles e "ir para o inferno, onde o fogo nunca se apaga" (Marcos 9.43-48).

A Bíblia fala do destino dos ímpios com palavras que expressam horror e tragédia, como vemos nestas descrições:
• Vergonha; desprezo eterno - Daniel 12.2.
• Castigo eterno - Mateus 25.46.
• Fogo que nunca se apaga - Lucas 3.17.
• Ira; indignação; tribulação; angústia - Romanos 2.8, 9.
• "Estes sofrerão penalidade de eterna destruição, banidos da face do Senhor e da glória do seu poder" - 2 Tessalonicenses 1.9.
• Fogo eterno; densas trevas - Judas 7, 13.
Em Apocalipse 14.10, 11, vemos qual será o destino eterno e definitivo do ímpios: "...esse beberá do vinho da cólera de Deus, preparado, sem mistura, do cálice da sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro. 11 A fumaça do seu tormento sobe pelos séculos dos séculos, e não têm descanso algum, nem de dia nem de noite, os adoradores da besta e da sua imagem e quem quer que receba a marca do seu nome".

Alimentando as ovelhas ou divertindo bodes?
Crítica ao livro A Divina Revelação do Inferno
Justificação somente pela fé em Jesus
O destruidor de famílias
O juízo final
Para ser agradável a Deus não basta ser religioso, é preciso ser espiritual
Refutando a doutrina dos testemunhas-de-jeová: o inferno existe e é a existência consciente do castigo eterno

E.A.G.

Bíblia Evangelismo em Ação, compilada por Ray Confort, página 1318, edição 2005, São Paulo (Editora Vida).■

Nenhum comentário:

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.