Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

domingo, 24 de junho de 2012

Deus precisa de dinheiro?

Pergunta importante: Deus precisava do animal que foi oferecido em sacrifício por Abel? Não. Mas diz a Bíblia que o Senhor se agradou de tal atitude. Foi uma oferta agradável porque foi entregue devocionalmente.

Ocorre de igual forma hoje em dia. Antidizimistas, e anticristãos de modo geral, afirmam que Deus não precisa de dinheiro. Muitos críticos dos pastores que pedem ofertas e dízimos, recusam-se a entregar ou entregam dinheiro na igreja no estilo de Caim, o primeiro filho do casal Adão e Eva que o Senhor rejeitou.

Deus não precisa do seu dinheiro, mas o seu semelhante sim. Através da arrecadação cuida-se das almas, tanto física como espiritualmente. Você ama o próximo como a si mesmo? As passagens bíblicas que abordam o dinheiro sinalizam com clareza o nosso relacionamento com Cristo e com Deus devocionalmente. Quem não é liberal nas finanças geralmente não se importa com o bem-estar de pessoas necessitadas, elas parecem apenas pensar em acumular e usar o dinheiro em benefício próprio.

Acredito que o assunto “dízimo” é o mais polêmico para a cristandade na atualidade. Penso que a fogueira da polêmica não apaga pelo jeito como grande parte da liderança cristã apresenta a questão dos dez por cento. Conheço poucos líderes que esclarecem que a vigência da obrigatoriedade referiu-se aos judeus, poucos afirmam que o cristão precisa adotar o sistema de dízimo com o coração voluntário e decidido a demonstrar na condição de dizimista o amor a Deus e ao próximo.

Infelizmente – palavras de um pastor assembleiano, com aproximadamente 70 anos, jubilado, e com a cabeça ainda bastante lúcida – a má administração do montante arrecadado chama mais atenção do que as boas administrações, que são em números maiores.

Não costumo frisar o livro de Malaquias no assunto dízimo. Gosto de usar Gênesis 14; Gênesis 28; Salmo 110.4; Hebreus 5; e Hebreus 7. Por quê? Porque nessas passagens está claro e patente o relacionamento de Cristo com a Igreja e através de Cristo o relacionamento do ser humano com Deus devocionalmente.

Entregar o dízimo e a oferta na igreja com o coração desejoso de ser alguém usado para abençoar vidas é uma situação que o Senhor se agrada. É um privilégio muito bom fazer parte do grupo de irmãos que sustentam financeiramente missionários no exterior; investem no evangelismo urbano; patrocinam abertura de novos templos; cuidam da manutenção de templos já abertos!

E.A.G.

16 comentários:

Carla Ribas disse...

Oi Eliseu,I
sso mesmo, feliz é aquele que escolhe obedecer a Palavra e viver o melhor de Deus.
Excelente artigo!
Carla Ribas

Anônimo disse...

Olha o que a GRAÇA nos diz:

Porque, se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados... Hebreus 10:26

A SALVAÇÃO VÊM PELO SACRIFÍCIO PESSOAL DE CADA UM.

taddei.spaceblog.com.br disse...

Elizeu, paz seja contigo!

Deus Pai e Criador de tudo e de todos não preecisa de dinheiro algum, ELE é o dono de todas as coisas, inclusive de meus rendimentos. Assim importa de forma fraterna e humanda, atender para os princípios do amor ensinados pelo SENHOR JESUS, a Bíblia é farta destes ensinos, alguns você cita no blog. Contribuir entregando os dízimos, ofertas e até nosso trabalho, na Obra de Deus é entender de forma precisa João 14. Deus abençoe abundatemente!

Fabio Silveira de Faria disse...

Entendo que nada do que possuímos pode ser considerado como nossa propriedade. Tudo é do nosso Senhor, e, nós, somos apenas administradores. Conforme o princípio, todo bom administrador está pronto a servir e acatar as ordens do seu Senhor, e, sendo assim, nós,precisamos estar aptos em todos os momentos a compartilhar daquilo que está em nossas mãos. Sempre é bom lembrar que esse compartilhamento não se refere sómente ao dinheiro, mas a tudo quanto temos como: tempo, profissão,casa, roupas etc.
Quanto ao dízimo e ofertas nas igrejas é algo que precisa ser mais debatido, pois a maioria do que é arrecadado, no presente momento tem sido aplicado em coisas que não glorificam a deus ou que priorizem o "órfão a viúva e o estrangeiro".Como exemplo se pode citar os atuais templos suntuosos que estão e são totalmente contrários ao ensino contido no Novo Testamento, mas que normalmente são construídos com o dinheiro do"dízimo".
Para expansão do Reino de Deus em muitos momentos é necessário o dinheiro, mas,precisamos antes examinar com muito cuidado as mãos e as intenções das pessoas a quem costumamos nomear como nossos procuradores junto ao reino. Assim como o relatado no livro de Atos creio que toda coleta antes de ser feita precisa ter sua especificidade declarada, ou seja, a aplicação dos recursos precisa ser transparente.
Abraços.
Fabio, cristaodebereia.blogspot.com

Luciano Silveira disse...

Deus com certeza não precisa de dinheiro, mas sua obra não sobrevive sem ele. E Deus também se agrada quando tudo é feito dentro de príncipios biblicos, algo que não fere ou torce a santa e imutavel palavra de Deus. Infelizmente hoje em dia existe muitos maus administradores de sua obra, muitas vezes se destacam no cenário nacional por sua eloquencia ou influnência. Mas Deus é fiel e não deixa escarnecer, mais cedo ou mais tarde os frutos desta árvore denunciarão quem de fato produz bons ou maus frutos. Que Deus nos abnçõe e nos de sabedoria para saber discernir isto. Um abraço!

suely ceruci disse...

boa tarde!...
Há alguns dias nossa irmã em Cristo,Carla Ribas abordou esse assunto em seu blog.
Vou repetir aqui o que comentei pois penso exatamente dessa maneira..
"dou meu dízimo para minha igreja,porque é meu compromisso com Deus,baseada em tudo que a Bíblia diz.
É responsabilidade de quem o administra,usá-lo segundo a Palavra,pois irá responder a Deus por isso."

Muita boa sua abordagem também,Eliseu.

Suely
http://sbertoncini.zip.net.

mensagens bíblicas a cada dia

TKM disse...

Dinheiro é bom, para pagar as contas.
Também o Cristão, deve andar com as contas em dia ... Entretanto, tenho obsdervado, que quanto mais as pessoas perseguem, menos dinheiro ou prosperidade tem, pois atendendo para as coisas do alto,tudo lhe é acrescentado ... E, compartilhando, sempre mais é acrescentado, e nada falta!

Pois, a avareza, é considerada, como pecado de idolatria.


Porque bem sabeis isto: que nenhum devasso, ou impuro, ou avarento, o qual é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus.
Efésios 3:5.

15 E disse ao povo: Acautelai-vos e guardai-vos de toda espécie de cobiça; porque a vida do homem não consiste na abundância das coisas que possui.
Lucas 12 : 15.

Lucas Antônio disse...

Paz do Senhor nobre companheiro, Dizimo é um ato de Fé, e não só apenas de Fé também de adoração a Deus que tudo tem nos dado. Tenhamos como exemplo a bíblia sagrada! Aguardo sua visita e seguimento em meu blog: http://adjardimpaulistaalto2.blogspot.com.br
Em Cristo!

Pastor Sergio Fraga disse...

Concordo com você, sem dúvida alguma é assim que deve ser.
O grande problema é a forma com que tem sido colocado pela maioria de pastores, os escândalos de petições via TV. por homens que até são de Deus, mas não têm o cuidado de proteger o evangelho nestas horas. Vemos todo tipo de programação pela TV e sabemos que custa caro, necessitando de patrocinadores, mas não vemos petições no meio secular da forma , me perdoem o termos, de forma burra como vemos no nosso meio, pois é um escândalo e tem denegrido a imagem do evangelho e arrebentado com a nossa credibilidade. Não foi atoa que Jesus disse que os filhos do mundo são mais hábeis na sua própria geração do que os filhos da luz.
Mas isto é sinal também dos últimos dias.
Fiquem na paz.

Família: meu maior patrimônio! disse...

Muita boa a postagem...
Acredito que Deus precisa da nossa fidelidade nas escrituras! A utilização do dinheiro foi muito bem colocada pelo o irmão!

Um abraço: Pb. Marcello

Josebias D. Onorato disse...

Graça e Paz à todos!

Como vai Eliseu?

Deus nunca precisou de dinheiro, ou melhor, o que Deus faria com dinheiro que o seu poder já não o faz?
Considero o dinheiro um "avaliador" contundente na vida de qualquer pessoa(principalmente do crente, hein?), muitos sonegam os dizímos e ofertas com as justificativas mais absurdas e esquecem que é uma ordenança divina!!!
Os mais beneficiados com essa prática somos nós, ou não pertencemos ao Reino Dele? Quando investimos nesse Reino, há um retorno tanto finançeiro como espiritual, pois há promessa no campo das finanças e conseguimos ser verdadeiros adoradores não somente em espírito mas também em verdade.
Leia mais sobre isso, acesse: http://josebiasonorato.blogspot.com.br/

Sempre em Cristo,

Dc Josebias.

Pedro Braym disse...

O que precisamos entender de vez por todas, é que não só o DÍZIMO, mas toda a lei cerimonial do Antigo Testamento foi por Cristo, abolida.
O Senhor Jesus nunca mandou semear dinheiro nas igrejas, mas amor ao próximo, em forma de caridade.
Quando os discípulos mostraram a estrutura de um templo para Jesus, Ele lhes respondeu: Em verdade vos digo, que não ficará pedra sobre pedra que não seja derribada.
Ele não habita em templos feitos por mãos de homens; nem tão pouco é servido por mãos de homens, como que necessitando de alguma coisa, pois, ele é quem dá a todos a vida, e a respiração e todas as coisas. O templo que o Senhor valoriza não é a estrutura material construída por mãos de homens, porque igreja não é prédio, mas é formada por cada um de nós que o tememos e guardamos a sua palavra no coração, e formamos um corpo, cuja cabeça é o Senhor Jesus, e esse corpo constitui a igreja de Cristo que Ele virá buscar para a vida eterna, observe:
Vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Nele habitarei e entre eles andarei e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo.
Este é o templo que devemos e precisamos conservar íntegro, puro, santificado para a permanência do Espírito Santo do Senhor.
Disse Jesus: Onde estiver dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.
Ofereçam sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome. E não vos esqueçais da beneficência e comunicação, porque com tais sacrifícios Deus se agrada.
É fácil agradar a Deus. O sacrifício que o Senhor requer de nós é este, que nós o adoremos, porque Deus é espírito e importa que o adoremos em espírito e em verdade.
O Senhor quer que amparamos os nossos irmãos nas suas necessidades, que sejamos hospitaleiros. Isto sim agrada a Deus. Isso é amor ao próximo, isso é ajuntar tesouro no céu.
Para alcançar a salvação necessário é fazer a vontade do Pai que está no céu,obediência aos seus mandamentos, não só com palavras, mas com boas obras, porque amar ao próximo vai muito mais além do que esboçar um sorriso para o irmão, dar-lhe um abraço ou simplesmente dizer que o ama. Necessário é saber que o próximo sente a mesma fome, a mesma dor, o mesmo frio que sentimos, e precisamos socorrê-los nas suas necessidades..
Fazer caridade, isto sim, nos dará galardão para a vida eterna, no livro de Mateus 25.31-46, o Senhor Jesus nos dá a certeza que arrebatará para si os que foram caridosos com seu próximo, mas quanto aos que negligenciaram este amor está reservado o fogo eterno.
Vamos exemplificar: Saem dois irmão caminhando numa paralela, um pela direita e outro pela esquerda. O irmão que caminha pela esquerda sai por ai dando dinheiro para construir templos, para salários de dirigentes, para viagem da cúpula da igreja, enfim, dinheiro para ser usado em coisas materiais.
O irmão que caminha pela direita, dá alimento para quem tem fome, agasalho para quem tem frio, visitando os enfermos, acolhendo o estrangeiro, etc. No fim da jornada, ambos se deparam frente a frente com o Senhor Jesus. Então eu pergunto: Para qual dos dois o Senhor vai dizer: Vinde a mim, bendito do meu Pai, a tomar posse da coroa que lhe está reservada desde a fundação do mundo, porque tive fome e deste-me de comer, tive sede e deste-me de beber, estando nu me vestistes, sendo estrangeiro me hospedastes...? (Mateus 25.34,35).
É evidente que você dirá que o Senhor Jesus irá reconhecer o irmão que praticou boas obras, o amor ao seu próximo com caridade. Muito bem, é exatamente isso, mas vá você também, e faça da mesma forma, e terás um tesouro no céu, porque assim declarou o Senhor Jesus.
Fostes comprados por bom preço, não vos façais servos de homens (I Coríntios 7.23).

Josebias D. Onorato disse...

Graça e Paz!

Prezado Brayan, os dízimos em nenhum momento são considerados sementes nas Escrituras, pelo contrário(e é por isso que muitos não entendem o mistério dessa atitude) são colheitas! Ninguém se torna generoso por devolvê-los!
Os dízimos e ofertas também não foram diretrizes somente da Antiga Aliança, também no Novo Pacto se faz menção, o próprio SENHOR Jesus disse que deveria continuar procedendo com essa contribuição"...porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas"(Mt 23.23).
Todos querem que Deus abra as janelas dos céus, porém se recusam a ser fiel nesse quesito, porque será?
Ao devolvermos os dízimos e ofertas também não estaremos amando os nossos irmão? Ou não fazem parte do Reino de Deus? De fato e de verdade, Paulo afirma que damos graças a Deus com essa ação!!!(II Corintios 9:6-12).
Porém discordo com o atual investimento(?) que fazem hoje com as contribuições dos fiéis, concordo com você que o destino daquele deve-se a suprir necessidades e não ser dado a investimentos extra-templos.

Sempre em Cristo,

Dc Josebias.

Anônimo disse...

Amado irmão, graça e paz!

Os liderados sempre se dispuseram a contribuir, principalmente quando houve o bom exemplo dos líderes, afinal "as palavras convencem, mas os exemplos arrastam".
Veja Êxodo 36.3-7, por ocasião das ofertas para o tabernáculo: “Tomaram, pois, de diante de Moisés toda oferta alçada que trouxeram os filhos de Israel para a obra do serviço do santuário, para fazê-la; e, ainda, eles lhe traziam cada manhã oferta voluntária. E vieram todos os sábios que faziam toda a obra do santuário, cada um da obra que fazia, e falaram a Moisés, dizendo: O povo traz muito mais do que basta para o serviço da obra que o SENHOR ordenou se fizesse. Então, mandou Moisés que fizessem passar uma voz pelo arraial, dizendo: Nenhum homem nem mulher faça mais obra alguma para a oferta alçada do santuário. Assim, o povo foi proibido de trazer mais, porque tinham material bastante para toda a obra que havia de fazer-se, e ainda sobejava”.
Quem é o "louco" que expediria esse memorando hoje em dia? A ganância tem tornado alguns insaciáveis quanto à arrecadação.
Em 1 Crônicas 29 Davi começa a arrecadação para a construção do tempo, a começar por ele, seguido por seus capitães, contagiando o povo, arrecadando, enfim, uma fortuna, para edificar um templo suntuoso. O objetivo não era a ostentação, a disputa entre sacerdotes ou reis para mostrar quem "possuía" o Deus mais poderoso, a fim de atrair mais "contribuintes", mas como forma de adoração ao seu Deus.

Valdir Rocha

Josebias D. Onorato disse...

Graça e Paz!

Prezado Valdir, pelo meu parecer diante da exposição deste artigo do nobre Eliseu, nitidamente alguém pode pensar que recebo algo por defender essa ação, mas deixo claro que nunca recebí parte daquele nem tenho interesse. Mas vamos lá:
Acho muito vago(porém não desmereço aqui a posição do irmão acerca deste) a comparação feita, pois não reflete a realidade hoje, senão vejamos: um único tabernáculo, santuário ou templo para ser utilizado por milhares naquela ocasião, enquanto hoje só para ter uma idéia a denominação a qual pertenço tem só em Sergipe mais de 80 templos e centenas de pontos de pregações(estes arrendados) além de escolas, asilo e outras ações, acha muito? Acho muito pouco, seria ideal que tivesse cinco vezes esse numeral!!! Quantos milhares de reais são necessários para a sustentação(não ostentação) destes(sem falar, é claro, no fator humano)?
Compreendo e concordo perfeitamente quando diz que "A ganância tem tornado alguns insaciáveis quanto à arrecadação", mas não preciso fazer disso regra nem justificativa para não honrar a Deus com minhas contribuições, isso faço com um único objetivo: de também adorá-lo neste quesito. Jamais condeno alguém que não devolve-o, mas sempre que posso oriento de acordo com a Palavra que temos.
Meditem nisso:“Alguns há que espalham, e ainda se lhes acrescenta mais; e outros, que retêm mais do que é justo, mas é para a sua perda”. (Provérbios 11: 24)

Sempre em Cristo,

Dc Josebias.

Lucilene Batista de Brito Shirota disse...

Bom artigo irmão Eliseu. A grande polêmica em torno do dízimo hoje, se dá ao modo como ele é administrado. Eu não concordo com o dízimo como algo obrigatório, pois a Bíblia nos liberou dele no tempo atual da graça, porém dar o dízimo por fé é algo que Deus realmente se agrada, não apenas 10% mas aquilo que Deus colocar no nosso coração para dar.
Mas como é usado esse dinheiro é que é preocupante, pois deveria haver uma prestação de contas nas igrejas assim como antigamente, pois evitaria essa robalheira que já virou uma epidemia em nossas igrejas.
Meu dízimo eu dou para o trabalho de missões, na mão do dirigente do trabalho e não para o pastor. Sinto de Deus de entregar essa oferta aonde realmente a obra é válida, para ganhar almas. Que Deus abençõe o irmão! Paz do Senhor!

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.