Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

sábado, 3 de março de 2012

EBD 2012 Igreja verdadeiramente próspera

Viver em triunfo é pecado? Quem pode mostrar em qual parte das Escrituras Jesus mandou você e eu ser um derrotado. Vida triunfalista não é vida em pecado é vida em Cristo (2 Coríntios 2.14).

A prosperidade é bíblica. São Francisco de Assis pecou ao dizer que a miséria é sinônima de espiritualidade. A miséria não é bênção, é consequência da preguiça e de políticas econômicas erradas (Provérbios 19.15; 29.12; Eclesiastes 10.5, 17; Salmo 33.12).

Deus criou o ser humano como matéria e não abandona a matéria humana que criou.

Não é possível "brigar" contra os sentidos das palavras. É fato que salvação e paz significam prosperidade, saúde, bem-estar físico. Ponto final, ou vamos mudar o sentido desses termos? Não é possível mudá-los.

Prosperidade - definindo biblicamente o que é.

Ao abordar a prosperidade bíblica, mesmo que escrevamos textos apontando para as etimologias de palavras contidas na Bíblia, nos idiomas em hebraico e grego, sempre aparece alguém para dizer que fazemos defesa da famigerada e herética Teologia da Prosperidade. Eu sei que não existe conteúdo bíblico que apoie essa heresia. Eu não a apoio, mas também não me omito em tratar do assunto prosperidade bíblica.

Não temos condição de afirmar com certeza em qual faixa financeira Jesus Cristo cresceu. A vida dEle está registrada nas Escrituras apenas no período de três anos e meio, quando já estava com 30 anos de idade, e parte em que era uma bebezinho e criança. A vida socioeconômica de José e Maria não era detalhe importante para nós – se fosse, estaria relatada nas páginas do Novo Testamento. Então, se pobre ou rico, o estilo de vida na infância e adolescência de Jesus e seus familiares não nos serve como parâmetro para defesa de vida religiosa em riqueza ou pobreza. Mesmo assim, existem incautos defendendo a miséria, dizendo que Cristo era um pobretão. Temos os relatos neotestamentários apenas de Jesus como evangelista e pastor. E é necessário levar em consideração que nem todos entre nós são evangelistas itinerantes, não é? E quem não é deve proceder como se fosse? Não...

Jesus não pregou em favor da riqueza e nem da pobreza. Ensinou a ser liberal e condenou a avareza. Note as diferenças. Os discípulos que andaram com Ele por três anos e meio viveram como se nada tivessem, mas tinham as suas posses. Não encontramos uma ordem para que eles vendessem tudo o que tinham e distribuíssem o valor das vendas aos pobres.

As riquezas são embaraços aos avarentos e egoístas, então Jesus alertou sobre ela, dizendo que é difícil um rico entrar no céu (mas nada é impossível para Deus). Da mesma maneira, encontramos alertas aos incontinentes adúlteros e fornicários, porque a beleza física e o sexo são tropeços para a vida deles. Temos que vigiar em tudo, saber usar o que temos com prudência em todo tempo, para cumprir os planos divinos. Da mesma maneira que existe advertência quanto ao uso das riquezas, existe também dirigida às relações sexuais. Ora, partindo dessa premissa, então, devemos ser seres assexuados?!

Jesus foi enfático em dizer que no mundo teríamos aflições. Ele não pediu aos cristãos para cruzarem os braços e resignados aceitarem viver em aflição permanente, mas alguns cristãos seguem ignorando tal fato. Jesus veio salvar a todos, não há dúvida disso, porém, existe quem esteja inchado contra a verdade e despreza as vitórias que Deus quer nos dar. Quem passa por aflição precisa crer que existe saída para os problemas, e lutar contra o mal porque a vitória é certa.

Marcos 10.28-30 é um texto pertinente para refutar aqueles que defendem a Teologia da Miséria. Note as letras maiúsculas: "E Pedro começou a dizer-lhe: Eis que nós tudo deixamos, e te seguimos. E Jesus, respondendo, disse: Em verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou campos, por amor de mim e do evangelho, QUE NÃO  RECEBA CEM VEZES TANTO, JÁ NESTE TEMPO, EM CASAS, e irmãos, e irmãs, e mães, e filhos, E CAMPOS, com perseguições; e no século futuro a vida eterna."

Você e eu não conhecemos a vida financeira de todos os apóstolos. Da turma de doze homens, o Novo Testamento fez o relato de apenas três após a subida de Cristo ao céu: Pedro, João e Tiago. E... Me mostre algum texto bíblico que prove que eles viveram em miséria... Não existe tal texto!

Quem faz defesa da Teologia da Miséria usa o trecho bíblico encontrado em Filipenses 4.12,13. Mas essa passagem não contém apologia da miséria e da pobreza. Paulo ensinou sobre a necessidade do desapego às coisas materiais. Ele nos faz saber que sabia viver bem na fartura e na abundância, revela que não existia no coração dele o risco do sentimento de autossuficiência.

Desprezando os ensinos de Cristo e dos apóstolos, os defensores da miserabilidade entre os cristãos, dizem que as pessoas que pregam a prosperidade bíblica são marqueteiros e alienadores. E generalizam, acusando os crentes que recebem a prosperidade de Deus como pessoas desonestas, menos confiáveis que espíritas e católicos. Eu fui vítima de alguém que disse isso! No meio do trigo existe o joio. Não devemos generalizar em situações de crentes dando mal testemunho. Não podemos afirmar que todos os espíritas e católicos são melhores que os evangélicos ao negociar. E, em minha opinião, quem incentiva o crente a se conformar com o câncer, e outras doenças, diz que derrota e miséria são coisas de cristãos são os verdadeiros alienados e alienadores... Esses são os falsos profetas, os falsos irmãos, são inchados com religiosidade e vazios de unção de Deus.

Os tais afirmam que ter a riqueza e o bem-estar físico é amar o mundo. É preciso distinguir a palavra "mundo" na Bíblia. Deus amou o mundo de tal maneira que enviou Jesus para salvá-lo.  O planeta é criação de Deus e foi feito para o ser humano viver, desfrutar, dominar. O mundo em que o malígno está é o sistema de maldades, inveja, mentira, orgulho, egolatria e idolatria, de rebelião ao mandamento de amor.

O crente sincero adquire a sã consciência e temor santo a Deus lendo a Bíblia Sagrada, é sal na sociedade porque ama ao Senhor, independente da condição financeira. Para ser sal na terra não é preciso estar inserido na miséria. Existe gente pobre e rica distante de Deus, gente materialista com e sem dinheiro, porque o coração do ser humano é sempre avarento e egoísta quando não aceita a Palavra de Deus.

Mais de uma vez eu tive a oportunidade de conversar com os tais defensores da vida cristã miserável. E os provoquei a praticar o que pregam. Disse-lhes: distribua tudo que tem aos mais pobres, viva apenas com duas mudas de roupas... Sabe o que descobri? Eles desejam a miséria dos outros, a própria não.

E.A.G.

2 comentários:

Gilson Barbosa disse...

Prezado

Graça e Paz. Que Deus continue o usando para escrever ao povo de Deus.

Do blog: www.pbteologil.blogspot.com

(Passei a segui-lo, se quiser ser recíproco, entre no meu blog).

Evanilde Santos Barberan disse...

Gostei muito de sua postagem!
Que Deus continuei lhe usando.

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.