Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Violência doméstica

A violência doméstica prejudica a todos.
A violência sempre é uma opção errada para resolver problemas.

Seja a violência do marido contra esposa, da esposa contra filhos, filhos contra pais, mulher contra homem. Agredir é sempre um recurso equivocado.

Toda modalidade de violência é um grande equívoco, inclusive a violência do tipo verbal, porque o xingamento quase sempre é o agente motivador de espancamento.

Causa e consequência

Pesquise e descubra: na maioria das vezes, pessoas agredidas com socos, pontapés, armas brancas ou armas de fogo, antes de apanhar abriram a boca proferindo palavrões contra o agressor ou agressora. A pessoa vítima da violência também é uma algoz, pois usou palavreado chulo, feio, desrespeitador.

Não digo que em todos os casos o motivo da violência entre casais é o palavreado das esposas, digo às vezes.

Quando vejo matérias na televisão cuja pauta é esposa agredida, fico me perguntando  o que aconteceu antes do primeiro tapa. Eu acho tremenda falta de sabedoria a esposa xingar o marido, porque ela está incentivando espancamento contra si. Nem todos os homens são fortes psicologicamente para ouvir ofensas e serem equilibrados a ponto de não partirem para a força bruta.
Este erro de convivência que eu menciono é muito comum... Infelizmente!

Vis a vis

Na minha jornada cristã, já tive algumas oportunidades de fazer aconselhamento de casais. Neste mês eu estive na residência de um casal cuja mulher havia sido espancada pelo marido e fiz um discurso para lá de pesado contra o agressor (por sinal dois adolescentes com um bebê!).
Depois de conversar sobre algumas coisas referentes à área particular do casal, levei o agressor para um canto à sós e perguntei a ele se ele amava sua esposa, e ele afirmou que sim, então lhe disse: "Você precisa valorizar a sua companheira, deve dizer a ela palavras que a façam entender o valor que dá a ela. Amar nunca é só dizer 'eu te amo'. Amar é tratar bem, é ser amigo sempre, é ter ações que ajudem e protejam."

A Bíblia Sagrada está repleta de sabedoria

É válido lembrar que tanto o machismo quanto o feminismo são péssimos para a vida dos casais. Deus não criou homens machistas e nem mulheres feministas. Deus criou homens machos e mulheres femininas, e os casais se comportando dentro dessas características, e ao mesmo tempo dando atenção aos conselhos bíblicos,  conquistam boa convivência dentro do lar.

"A resposta calma desvia a fúria, mas a palavra ríspida desperta a ira." -  Provérbios 15:1 (NVI).

"Mas agora, abandonem todas estas coisas: ira, indignação, maldade, maledicência e linguagem indecente no falar. Não mintam uns aos outros, visto que vocês já se despiram do velho homem com suas práticas" - Colossenses 3.8-9 (NVI).

Driblando a violência doméstica em lares parcialmente evangélicos

Para evitar violência dentro do lar, motivada por perseguição religiosa, o apóstolo Pedro instrui as esposas, casadas com maridos não convertidos a Jesus Cristo,  que o Evangelho seja pregado sem uso de palavras, apenas com atitudes. A instrução também serve para maridos e aos relacionamentos de filhos com seus pais.

"Do mesmo modo, mulheres, (...), a fim de que, se alguns deles não obedecem à palavra, sejam ganhos sem palavras, pelo procedimento de sua mulher, observando a conduta honesta e respeitosa de vocês."  -1ª Pedro 3:1-2 (NVI).


Sobre a Lei Maria da Penha

As autoridades são ministros de Deus. Ninguém despreze as autoridades, que todos façam uso delas com sabedoria.

"Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas. Portanto, aquele que se rebela contra a autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos. Pois os governantes não devem ser temidos, a não ser pelos que praticam o mal. Você quer viver livre do medo da autoridade? Pratique o bem, e ela o enaltecerá” – Romanos 13.1-3 (NVI).

É importante lembrar que a Lei Maria da Penha existe, que foi criada para proteger mulheres espancadas. Entretanto, é preciso reconhecer que esta Lei não é perfeita. Existem diversos casos em todo o Brasil de mulheres que recorreram à delegacia evocando essa Lei, entretanto, o espancador crápula continuou em liberdade, voltou e matou a esposa.

Ame e confie em Deus. Confiar é praticar as diretrizes da Palavra de Deus. Quem diz "eu confio em Deus" mas não pratica o que a Palavra manda se contradiz entre palavra e ações.

Recado às mulheres evangélicas espancadas:

É importante reconhecer que a Palavra de Deus não é um livro de retóricas, um conteúdo de palavras mortas. Pratique a Palavra de Deus, nunca a troque por filosofias humanas. A pessoa praticante da Palavra de Deus está ao lado de Deus e recebe a proteção dEle.

Leia a Bíblia, pratique-a sempre, e confie no que está escrito nela: Salmo 119-110; Hebreus 4.12; Jeremias 23.29; Isaías 55.11; Jeremias 39.11; Filipenses 4.7.

A Palavra de Deus ilumina a mente, é viva e eficaz e penetra até a divisão da alma e do espírito, é mais poderosa que a marreta que quebra as mais duras rochas; nunca volta vazia para Deus, cumpre os objetivos do Senhor em nossas vidas. E os pensamentos de Deus para nós são de bem e de paz.

Utilize sua fé em Cristo, a fé em Cristo não é lixo inodoro, Deus está de olhos abertos e está bem próximo de todos os aflitos que o buscam com confiança.

Sangue? Mulheres cristãs espancadas?

Eu tenho, aproximadamente, 28 anos como crente evangélico, sou paulista e paulistano, moro na Capital do Estado, e até hoje ainda não vi casos de esposas evangélicas terrivelmente espancadas como a foto publicada  neste artigo. Graças a Deus!

Mas, segundo me contam, não digo ser verdade ou mentira, existem casos assim nas famílias evangélicas lá no nordeste, em Pernambuco. São homens que passam a frequentar igrejas mas que não se converteram a Jesus Cristo. 


O marido deve tratar a esposa com o mesmo amor que Jesus Cristo trata a Igreja (Efésios 5.25; Colossenses 3.19).

E os filhos?

Nas crises, as dores dos filhos nunca devem ser esquecidas. As crianças são as pessoas que mais sofrem quando existe desentendimentos dos pais!

Trato pastoral em tempos de crises

A esposa espancada, sendo cristã, deve procurar seu pastor em situações de crises sérias. O pastor está do lado da paz no lar. Quando o pastor fica ciente da falta de paz, ele ora em busca de uma solução. E quase sempre, se a esposa espancada preferir, conversará com a esposa do pastor e não com ele. E querendo, marido e esposa conversarão juntos no gabinete pastoral.

Procurar ajuda de pastor não significa que o espancador não deve ser levado à polícia e nem que deve. Cada caso é um caso, e deve ser analisado dentro da sua especificidade.

Conclusão

Não dou razão para quem espanca e nem para quem xinga.


Como cristão, sou uma pessoa imparcial ao usar conteúdo bíblico. Dirijo a Palavra de Deus como ela é, seja para uso em caso pessoal ou em caso de terceiros, pessoas próximas ou distantes. As Escrituras são dirigidas a todos, aos de perto e aos de longe. E sempre com objetivo de edificação espiritual. Na hipótese de uma crise como essa entre casal que eu conheço, trataria o caso como eu escrevi. Diria as mesmas coisas, pois a Palavra de Deus é útil tanto para pessoas que estão em meu círculo pessoal quanto para aquelas que não estão.

E.A.G.

Nenhum comentário:

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.