Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

segunda-feira, 14 de junho de 2010

O senhorio de Jesus Cristo e as obras humanitárias de Madre Tereza de Calcutá

O fundamento da fé cristã
Existem várias religiões no mundo, a minha é a cristã evangélica.
No cristianismo, aprendemos que a salvação é através de Jesus, apenas Cristo nos salva. Cremos que para ser salvo, é preciso reconhecer-se pecador e reconhecer a Jesus como Senhor.
Com prazer, declaro que eu pauto a minha vida pelos fundamentos de Cristo. O fundamento do cristianismo é apenas um: Jesus Cristo.
Sempre ao declarar isto, saiba que estarei aludindo ao Novo Testamento, à declaração do apóstolo Paulo: “Segundo a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como sábio arquiteto, o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele. Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo”- 1ª Corintios 3. 10-11.
Não existe outro recurso para o ser humano ser salvo. Crer diferente disso é ter uma noção estranha ao cristianismo.
A Pessoa de Jesus Cristo e a biografia de Madre Tereza de Calcutá
Ela nasceu em 26 de agosto de 1910, em Skpje, Macedônia, com o nome Agnes Gonxha Bojaxhiu, e, doente, veio a falecer em 5 de setembro de 1997, conhecida mundialmente como Madre Tereza de Calcutá, em Calcutá - Índia.
A história diz que ela fez um excelente trabalho humanitário. Discursou na ONU, recebeu o prêmio Nobel da Paz, por socorrer os necessitados da Índia e diversos outros países. Porém, com toda a bela biografia que possui, com toda a honraria que mereceu em vida e merece receber postumamente, esteve incluída na condição de toda Humanidade, para ela também existiu a necessidade de dobrar seus joelhos e reconhecer a Cristo como único Senhor e Salvador pessoal, para ter o direito de entrar na esfera da existência pós túmulo na presença de Deus.
Quando Madre Tereza de Calcutá, em avançada idade, estava hospitalizada, creio que muitos cristãos evangélicos oraram a seu favor, pediram a Deus pela salvação de sua alma. Ao orar em favor da alma desta mulher, os cristãos evangélicos cumpriram determinações bíblicas: Atos 8.24; 1ª Tessalonicenses 5.17, 25; Hebreus 13.18; Tiago 5.16.
Madre Tereza de Calcutá precisava de orações tanto quanto qualquer outro ser humano.
Mesmo diante de toda obra assistencialista, ela era um ser humano falível, uma mulher pecadora. . É assim que as Escrituras Sagradas descrevem a todos nós. “Todos pecaram e carecem da glória de Deus” - Romanos 2.12 (leia o capítulo inteiro).
Nós cristãos evangélicos, temos a esperança que Madre Tereza de Calcutá tenha tomado consciência da necessidade de reconhecer-se pecadora e curvar-se ao senhorio de Cristo. Se ela faleceu consciente dessa condição e tomou as medidas de fé em favor de sua alma, então, partiu salva.

Está escrito que para Deus a justiça humana é igual panos velhos e sujos. Ou seja, quem pensar que é capaz de se limpar praticando o bem ao próximo, suja-se mais ainda!
Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças, como trapo da imundícia; todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniquidades, como um vento, nos arrebatam” - Isaías 64-6.
Mesmo que alguém alimente todos os pobres do mundo, não será salvo por causa deste bem. Não é a nossa bondade que nos salvará, é a fé, crer que só Jesus é o nosso Salvador e Senhor, e agir de acordo com essa realidade.
Qual é a responsabilidade da Igreja quanto às obras humanitárias?
O Novo Testamento não induz os líderes cristãos a praticarem obras assistenciais mundo afora, sem nenhum critério definido.

Em 1ª Timóteo 5.3-16, Paulo recomenda a Timóteo que ajude apenas as viúvas que fossem cristãs sinceras, de bom testemunho, e que não tivessem socorro de seus familiares nas suas necessidades.
Por viúvas entenda as pessoas desamparadas.

A função do pastor quanto às obras assistenciais limita-se a cuidar das ovelhas que fazem parte do seu ministério, e não de todas as pessoas pobres que estão por aí no mundão. Para receber ajuda humanitária da Igreja Evangélica, o critério é ser um cristão fiel. Ao pastor, cabe ajudar primeiramente os cristãos de sua congregação. Se houver prosperidade, com tal capacidade poderá cuidar dos que são de fora.
Concluindo
Todo o bem que fazemos não nos abrem as portas do céu. O cristão evangélico deve praticar o bem, mas não objetivando ser salvo, mas por ser salvo em Jesus Cristo.
Este artigo não tem a ver com fundamentalismo religioso, tem a ver com o fundamentalismo cristão. Meu fundamento é Jesus Cristo.
E.A.G.

4 comentários:

Anselmo Melo disse...

Um Cristão de verdade sabe o valor de ser livre. Respeita a opinião de outros ainda que sejam radicalmente diferentes das nossas.
Quem não sabe conviver com as diferenças é covarde, porque no fundo não tem absoluta certeza dos valores que defende.
Vergonhosa e covarde,no mínimo, a sua atitude.
É por cause de "crentes" como você que a Igreja de Cristo tem se tornado motivo de escárnio na boca dos incrédulos.

O SERVO disse...

Bom dia que a Paz de Nosso Senhor Esteja com todos.
Eu Tenho talvez uma visão um pouquinho diferenciada de seu artigo sobre Madre Teresa, Eliseu, pelo seguinte.
Nunca foi dito que ela fazia o bem como uma forma ou um mecanismo para ser salvo. Não me consta em sua biografia que ela POR OBRAS tentava apagar o pecado que tomos nós praticamos, mas , ela praticava o que muitos evangelicos nem sabe o que é, porque a maioria vivem pregando o Evangelho mas em momento algum vivem o Evangelho.
Eu falo em relação a uma pratica que Jesus ordenou, Amar a Deus sobre todas as coisas e ao proximo como a ti mesmo. A atitude de Madre Tereza, em renunsciar aos caprichos da vida, ao sucesso, as coisas materiais, escolheu o ajudar o ser humano como sendo sua prioridade, os milagres que ela pode nunca ter feito em curar espiritualmente uma pessoa curou ao matar a fome fisica e a fome da alma dando amor que falta em muitos evangelicos que se dizem os donos da verdade e que não vivem o amor de Jesus. Eu acredito que ela deu a vida dela em prol do ser humano, sem pedir dizimo, ofertas, sem ostentar bens e riquezas. Ela praticou a maior lei que Jesus deixou, amou a vida( Deus) mais que tudo e ao proximo mais que tudo.
Eu não teria a coragem dela por isso acho que ela merece muito mais a salvação do que eu. O que me consola é que Jesus assumiu minha falha, minha omissão, minha falta de amor, de coragem.
Acho que para uma pessoa largar o mundo e seguir um ideal de ajudar o proximo como ela fez ja é motivo para avaliarmos melhor nossos conceitos do que é seguir a Cristo, porque muitos acham que seguem a Cristo e não estão nem proximos da sua sandália. Ela teve uma vida Santa, longe de escandalos e podridão do que muitos pastores , bispos e apostolos praticam. Seguir e aceitar Jesus é talvez muito mais que imaginamos.
Grato

Eliseu Antonio Gomes disse...

Anselmo

De maneira alguma este artigo tem o objetivo de denegrir a pessoa de Madre Tereza de Calcutá.

Eu não desrespeitei a pessoa dela, jamais faria isso em vida, quanto mais em memória.

Deus te abençoe.

Eliseu Antonio Gomes disse...

Caro (a) Blogueiro (a) de O Servo

Sem dúvida, é necessário pregar o que vivemos.

Da minha parte, eu não presumo que Madre Tereza de Calcutá tenha realizado seus trabalhos humanitários objetivando conquistar a salvação.

As linhas que eu escrevi descrevem como o cristianismo nos apresenta o Plano Divino da Salvação. Deus nos concede a salvação apenas por intermédio dos méritos de Cristo.

Abraço.

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.