Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

sábado, 3 de junho de 2017

Maria, irmã de Lázaro, uma devoção amorosa

Por Eliseu Antonio Gomes

INTRODUÇÃO

É notória a existência de várias "Marias" ao longo do Novo Testamento: Maria, a mãe de Jesus; Maria Madalena; Maria a mãe de Tiago e João. E a Maria, citada em João 12.1-11, que é a irmã de Lázaro e Marta.

Marta, Maria e Lázaro, eram bons amigos de Jesus. Eles residiam em Betânia, uma pequena cidade nas encostas do Monte das Oliveiras. Encontrava-se a 6 quilômetros de distância de Jerusalém, havendo um trajeto que poderia ser percorrido em apenas meia hora de caminhada. Então, assim, sempre que Jesus e seus companheiros visitavam Jerusalém, passavam pela casa de seus amigos, em Betânia.

I - O EXEMPLO DE MARIA DE BETÂNIA

Alguns episódios que se referem à Maria de Betânia:
• Jesus chega à residência de Maria para jantar (Lucas 10.38-42);
• A morte de Lázaro e sua ressurreição (João 11.28-32);
• Maria lava os pés de Jesus e os enxuga com seus cabelos (Mateus 26.6-13 e Marcos 14.3-9; João 12.3).
A atitude de Maria de Betânia,ao escolher o que mais importa, que é dar atenção a Jesus em primeiro lugar, é um ótimo exemplo de crente que oferece a Deus sempre o melhor em forma de gratidão por seu amor.

1. Maria "escolheu a boa parte".

Maria foi uma mulher que honrou Jesus colocando-o acima de toda e qualquer prioridade. Sua atitude de ficar aos pés do Filho de Deus, em íntima comunhão com Ele é exemplar.

A hospitalidade é uma arte. Certificar-se de que um hóspede seja bem recebido, aquecido e bem alimentado, requer criatividade, organização e trabalho de equipe. Sua capacidade de alcançar esses objetivos faz de Maria, e sua irmã, Marta, uma das melhores esquipes de hospitalidade da Bíblia.

Para Maria, hospitalidade significava dar mais atenção ao hóspede que às necessidades que Ele pudesse ter. Ela permitia que sua irmã mais velha, Marta, cuidasse desses detalhes. A atuação de Maria nos eventos mostra que ela era, principalmente, "uma pessoa que responde".

2. Maria deu prioridade a Jesus.

Nós vemos Maria de Betânia, pela primeira vez, durante uma visita que Jesus fez à sua casa.

Um dia, Marta avistou os discípulos subindo a estrada com Jesus. Eles pareciam exaustos. Então foi correndo colocar mais lenha debaixo do forno, para fazer-lhes uma refeição. Maria foi ao encontro dos visitantes. Certificou-se de que Jesus tinha bebida fresca e água para se lavar. Depois ela simplesmente se sentou aos seus pés e ouviu tudo o que Ele tinha para dizer.

Marta, ansiosa, se irritou com o fato de que sua irmã não a ajudava, enquanto preparava um prato atrás do outro. Zangada com Maria por deixá-la fazendo o trabalho todo sozinha, não conseguiu suportar aquilo calada. Por fim, foi até Jesus e interrompeu a conversa.

- Você não pode dizer a Maria para me dar uma mão? - perguntou-lhe.

- Não vejo a razão de fazer a refeição sozinha.

E, gentilmente, Jesus declarou que a decisão de Maria desfrutar da sua companhia era a reação mais adequada, na ocasião. Lembrou-lhe que lugar de uma mulher não é ficar o tempo todo na cozinha.

- "Marta, Marta, você está agitada e preocupada com muitas coisas, mas apenas uma é necessária! Maria escolheu a melhor de todas, e esta ninguém vai tomar dela" (Lucas 10.41-42, NTLH).

3. Mais "Martas" do que "Marias".

Os registros bíblicos que focam Maria de Betânia contém lições de vida cristã. Pequenos atos de obediência e serviço possuem efeitos amplos e altamente benéficos. Analisando o seu caráter, percebemos que, quando o cristão se envolve em tarefas do serviço a Deus, pode ser tentado a afastar-se de Jesus e, se se afastar, de cristão autêntico passa a ser apenas um mero religioso desprovido do Espírito Santo.

As Escrituras Sagradas vão de encontro às inquietudes do homem moderno e pós-moderno e preenche o vazio de sua alma com plenitude de paz e satisfação de viver. No entanto, para muitos parece não haver o menor sentido o que a Palavra de Deus tem a lhe dizer. É muito triste quando um cristão se deixa influenciar pelas filosofias pós-modernistas, pois mesmo que mantenha os hábitos de religiosidade, sua fé é enfraquecida. Embora sejam ativos dentro do templo, cantando e ensinando, não mais possuem motivação para sair às ruas e evangelizar.

II - MARIA, A MULHER QUE UNGIU JESUS

Maria de Betânia foi a mulher que ungiu os pés do Mestre.

1. Maria ungiu os pés de Jesus.

Encontramos Maria de Betânia em outra narrativa bíblica, ela já havia se tornado uma mulher de ação, ponderada, mesclada com adoração. Outra vez, estava aos pés de Jesus. Lavava-o com perfume e sacava-o com seus cabelos. Jesus declarou que seu ato de adoração deveria ser descrito em todas as partes, como um exemplo de serviço precioso.

A oferta que provavelmente representou a economia de toda a sua vida, quinhentos denários (moeda grega), era uma quantia bastante grande para uma pessoa comum. Ao ungir os pés de Jesus com um unguento de boa qualidade e caro, ela demonstrou amar mais a Jesus e as pessoas do que seus bens materiais. O motivo para fazer isso é bastante simples de explicar: ela quis oferecer o melhor para Jesus.

2. Maria ungiu a cabeça de Jesus.

Na semana que antecedeu a crucificação, Jesus saiu de Jerusalém e dirigiu-se à Betânia e ali, na casa de um tal Simão, lhe ofereceram um jantar. Segundo o relato bíblico, uma mulher ungiu sua cabeça e foi criticada por causa disso. Jesus aprovou sua ação de adoração com elogio (Mateus 26.13; Marcos 14.9).

O contexto nos leva a entender que esta adoradora era Maria de Betânia (Mateus 26.6, 7; João 11.1-2).

As ações de Maria são singelas e meigas, marcantes e inconfundíveis aos leitores do Novo Testamento, em todas as épocas. Não é por acaso Jesus ter dito que o gesto dela, ungindo sua cabeça, deve ser lembrado em todos os lugares onde o Evangelho for pregado, em favor de sua memória (Mateus 26.13).

As qualidades e realizações de Maria nos levam a crer que ela entendeu e aceitou a morte iminente de Jesus, e por causa disso dedicou seu tempo para ungir seu corpo enquanto Ele ainda estava vivo.

3. Devemos oferecer o melhor a Jesus.
• Porque Ele é o único realmente maravilhoso (Isaías 9.6);
• Porque Ele é o único realmente poderoso (Mateus 28.18);
• Porque Ele é o único realmente santo (Marcos 1.24);
• Porque Ele é o único realmente invencível (João 16.33);
• Porque Ele é o único realmente capaz (Efésios 3.20).
III - O CARÁTER HUMILDE DE MARIA

Através gestos espontâneos o caráter de Maria é revelado, mostra que era uma pessoa humilde.

1. Maria, uma mulher humilde.

Maria aprendeu quando ouvir e quando agir. À luz da atitude de Maria em ungir Jesus, bem como a ocasião em que ao recebê-lo para jantar em sua casa, é possível notar que ela era essencialmente devotada ao Senhor. Há ações de Maria que demonstram isso de forma testemunhal:
• Sua devoção delicada aos pés de Jesus.
• A atenção e a prioridade integrais a Jesus.
• O derramamento e o quebrantamento do coração de Maria na ocasiões em que ela ungiu os pés de Jesus.
• A humildade de Maria diante das críticas de sua irmã.
2. Maria não revidou as críticas da irmã.

O relato bíblico do episódio em que Jesus visitou Maria e seus irmãos em Betânia, mostra que ela não reagiu de maneira negativa quando foi alvo da queixa e incompreensão de Marta, por preferir estar aos pés de Jesus do que ficar afastada dEle cuidando dos afazeres domésticos. Ela não tentou se defender e não procurou valorizar sua atitude.

Assim como ocorreu com Maria, é possível acontecer com qualquer crente ser incompreendido, até por gente da própria família, em relação ao relacionamento com Jesus e ao serviço cristão. E do mesmo modo como Maria transpareceu ser caráter cristão não retrucando sua irmã. O crente precisa manter-se em silêncio, para que sobressaia sobre ele a aprovação do Mestre, fazendo com que no momento de Deus o familiar queixoso entenda que o alvo de sua crítica escolheu a boa parte.

CONCLUSÃO

É possível destacar vários aspectos da vida que podemos aprender a partir de Maria: a vida familiar, o relacionamento com o próximo, maior brandura no falar e no se dirigir às pessoas. Mas, maior destaque deve ser dado ao aspecto litúrgico. Movida pela fé e gratidão a Deus, Maria soube demonstrar a Jesus, através de seus gestos. seu amor altruísta. .

Como está sua comunhão com o Pai e o Filho? Você tem alegria e prazer em estar em sua presença para adorá-lo pelo que Ele é?

Que o nosso amor pelo Mestre seja maior do que por nossos bens materiais e qualquer outra coisa ou pessoa Que haja em nós espiritualidade semelhante a de Maria, uma devoção mais profunda, enraizada na total entrega da alma e do coração ao nosso Senhor.

E.A.G.

Compilações:
Ensinador Cristão, ano 18, nº 70, abril a junho de 2017, página 41, Bangu, Rio de Janeiro - RJ (CPAD).
Lições Bíblicas. O Caráter do Cristão - Moldado pela Palavra de Deus e provado como ouro; Elinaldo Renovato, 2 trimestre de 2017, páginas 66 a 72, Bangu, Rio de Janeiro - RJ (CPAD).
Onde Encontrar na Bíblia? Chave bíblica, roteiros de sermões e curiosidades bíblicas. Geziel Gomes.  página 185. 1ª edição maio de 2008, Taquara, Rio de Janeiro - RJ (Editora Central Gospel).

Nenhum comentário:

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.