Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Será que o estilo de vida de Sodoma pode existir no coração de um cristão?


A esposa de Ló olha para trás e é transformada em estátua de sal.

Kent Hughes
Tradução livre: Eliseu Antonio Gomes


Se tivéssemos acesso apenas a história da vida de Ló, conforme narrada no livro de Gênesis, jamais teríamos a possibilidade de saber que Ló era uma pessoa crente. Entretanto, de acordo com três descrições em 2 Pedro, ele era um homem justo, comprometido e perturbado. Além disso, era "afligido" pela vida em Sodoma. A explicação que encontramos, no capítulo 2 e versículos 7 e 8, escrita de maneira minuciosa por Pedro, é a seguinte:
"... o justo Ló, afligido pelo procedimento libertino daqueles insubordinados (porque este justo, pelo que via e ouvia quando habitava entre eles, atormentava a sua alma justa, cada dia, por causa das obras iníquas daqueles) ..." - (RA)
Ironicamente, apesar de Ló revoltar-se por causa do estilo de vida das pessoas em Sodoma, a cidade de Sodoma estava em sua alma. Então, podemos concluir que, apesar de um crente sentir aflição por causa das coisas que presencia neste mundo, inconscientemente, ao mesmo tempo ele corre o risco de sentir-se atraído e aceitar o sentimento de afeição pelo mundo.

Não existe nenhum indício de que Ló tenha sido um agente influenciador para os habitantes de Sodoma. Conquanto tenha morado por muitos anos naquela sociedade, fosse um morador de destaque ali, agiu de modo decepcionante, pois não foi uma pessoa influente entre seus amigos. Ló foi uma decepção total. Quando o julgamento divino sobreveio sobre Sodoma, nenhuma pessoa justa foi achada fora de sua família. Não havia conhecidos, vizinhos, ninguém entre os seus servos sabia quem era o Senhor. Seu apelo aos sodomitas diante de sua porta não foi respeitado por eles. Suas palavras não eram ouvidas como sérias, não eram recebidas como algo que merecesse atenção.

A tragédia maior; o exemplo de Ló não colaborou para levar sua família e parentes ao céu. Nenhum indivíduo dos seus círculos familiar e de amizades temia a Deus. Ao avisar aos genros que deveriam escapar da iminente destruição das cidades, pensaram que ele agia como "zombador". As palavras de Ló não possuíam conteúdo porque ele era vazio. Além disso, os hábitos de Ló não inspiraram sua esposa a desapegar-se da cultura de Sodoma. Ao afastar-se daquela localidade, seu coração permaneceu lá, portanto, não conseguiu resistir a olhar para trás e por este motivo foi destruída junto com Sodoma e Gomorra. A mulher que gerou suas filhas, a pessoa mais íntima de Ló, que conhecia muitos detalhes de sua alma, não enxergou nada nele ou em sua fé que indicasse a ela a direção da terra ao céu.

Inclusive, não há dúvida que o modo que Ló escolheu para viver causou à anexação do espírito de Sodoma no coração de suas duas filhas. A maneira dissimulada de agir que ambas demonstraram ter, era conduta comum em Sodoma. Ló tinha sua parcela de culpa nisso. Este comportamento disfarçado era movido por natureza espiritual negativa, portanto, concentrava em seu âmago efeito mortal.

Segundo descreve Pedro, particularmente Ló estava "afligido" por causa das ações depravadas dos ímpios e sua alma estava angustiada, mas guardava para si este estado interior, porque era uma personalidade de destaque na cidade. Usar a sinceridade prejudicaria a sua imagem perante aquela comunidade. Assim, Ló acostumou-se a fazer-se de cego, surdo e mudo quanto ao que via, não manifestava opinião quando via atos de abusos sociais e transgressões sexuais em Sodoma. Apesar de abominar, não praticar e abominar, nunca marcou posicionamento algum contra os pecados que eram cometidos. As blasfêmias e as conversas obscenas tiveram com reação de Ló um sorriso falso, a estratégica mudanças de assunto e de ambientes, com todo o cuidado de manter a aparência "politicamente correta".

As filhas do sobrevivente Ló conviveram com a figura de um pai que possuía grande habilidade de esconder suas opiniões, elas não esqueceram de sua negligência em seu dever paternal de educá-las, tinham na memória sua deslealdade torpe ao lhes oferecer como objetos sexuais para uma turba de homens inflamados de Sodoma, torpeza esta com a finalidade de apaziguar seus ânimos exaltados. Então, quando aconteceram as sucessivas seduções incestuosas, as filhas apenas usaram o método do engano, que receberam de herança. Nas profundezas de uma caverna,foi servido a Ló um copo escuro que continha vinho misturado com fraude e deslealdade. A desonra que Ló foi vítima por parte de suas filhas é uma situação incomum, numa circunstância de ironia cruel, pois ele realizou o ato vergonhoso que havia sugerido que os homens de Sodoma fizessem. Realmente, ele havia plantado no coração de suas duas filhas as sementes de Sodoma.

A postura insensata de Ló foi esta: embora o mundanismo de Sodoma afligisse sua alma justa, preferiu continuar vivendo o mais próximo possível de tudo que lhe causava aflição, até o último momento de seu final amargo. E a sequela foi que, apesar de Deus ter julgado os moradores de Sodoma, com exceção de Lós e as filhas, Sodoma renasceu em suas vidas.

Constata-se, assim, que é provável acontecer na vida de crentes como nós, gente realmente incomodada com o curso deste mundo, a adoção de atitudes pertencentes a cultura de Sodoma, é possível renascer tais atitudes na vida de crentes porque no coração do crente pode haver alguma espécie de relação com o sistema de vida mundano.

E.A.G.

Fonte: Westminster Theological Seminary | Título original: Does Sodom Live in our Souls?

Nenhum comentário:

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.