Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

terça-feira, 1 de julho de 2014

Por que uma tradução da Bíblia em linguagem atual?

Por Esteban Voth

A pergunta chave, no que se refere à tradução da Bíblia, não é a de Shakespeare: "ser ou não ser"; mas sim: "comunicar ou não comunicar". Com relação a isso, quero chamar a atenção para uma realidade que é vivida na maior parte das igrejas cristãs. Eu me refiro à ideia subsistente nas igrejas de que a Bíblia foi escrita em uma linguagem especial, misteriosa, religiosa e complicada. Não obstante, esta apreciação generalizada é um grande equívoco que gera atitudes e compreensões errôneas.

A Bíblia foi, em primeiro lugar, uma tradição oral que podia ser entendida por todos. Logo, com o passar do tempo, a oralidade deu lugar a textos escritos à mão. Os idiomas que Deus usou para revelar a sua Palavra foram o hebraico, o aramaico e grego. Estes não são idiomas especiais, religiosos ou criados exclusivamente para se transmitir a Palavra de Deus. Estes idiomas vêm de grandes famílias de idiomas, que pertencem a culturas e sociedades deste mundo. Isto é particularmente acertado quanto ao grego, que foi utilizado para redigir o Novo Testamento. Naquele tempo, havia dois tipos de grego: um mais acadêmico, chamado de grego clássico, que era usado pelos filósofos e grandes pensadores; e o outro era o grego utilizado pelas pessoas comuns, chamado de koiné. O Novo Testamento foi escrito em grego koiné, para que a pessoa comum, sem uma grande educação, pudesse entender a mensagem de Deus com facilidade.

Na tradução cristã, muitas vezes, tem ocorrido um fenômeno ao contrário, no qual a tradução da Bíblia foi feita usando-se uma linguagem difícil e arcaica. As pessoas com poder na esfera esfera religiosa cristã preferiram estas traduções que não comunicam a mensagem de forma amena. É por isso que uma tradução com base no significado - e usando um vocabulário contemporâneo e simples - é muito importante para a construção do Reino de Deus. Da mesma forma que os idiomas originais eram de fácil compreensão para os primeiros ouvintes e leitores, hoje é muito importante oferecer, ao mundo, traduções da Bíblia que utilizem uma linguagem compreensível para a pessoa comum. Neste tipo de tradução, é necessário evitar palavras que são compreendidas apenas apenas pelos crentes, membros das igrejas.

É urgente que a mensagem de Deus chegue à pessoa da rua - e que esta pessoa possa entendê-la sem precisar que algum especialista a explique. Isto não significa banalizar a linguagem, nem usar palavras toscas, da rua. Mas significa, sim, oferecer uma tradução com um vocabulário simples e uma semântica fácil de ser acompanhada. Isto não sugere que seja uma tradução simplista; porém, que seja uma tradução de fácil compreensão para que a pessoa - sem preparo e estudos bíblicos - possa ter acesso à mensagem libertadora e de esperança da Palavra de Deus.

O mundo de hoje carece de traduções que "comuniquem" a mensagem poderosa da salvação de Cristo!

Esteban Voth é teológo, biblista e coordenador de tradução da Área das Américas das Sociedades Bíblicas Unidas.

Fonte: A Bíblia no Brasil, nº 240, julho a setembro de 2013, ano 65 (Sociedade Bíblica do Brasil).

Um comentário:

Marcelo Medeiros disse...

Aqui necessário se faz o cuidado com outro extremo, que é o de no afã de popularizar acabar por cometer o erro da Bíblia free style: http://blogdoprmedeiros.blogspot.com.br/2014/06/a-biblia-profanada.html

A respeito de traduções mais populares, creio que a TEB e a NVI conseguem reunir linguagem acessível e fidelidade aos textos originais.

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.