Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Quando a vitória não vale nada!

Por Gilmar Coelho

"Pois que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma?" - Marcos 8.36.

Competição é crucial no mundo de hoje. O problema surge quando a disputa passa do limite, deixa de ser saudável e começa a prejudicar um colega, a família, a organização e a própria saúde. Decepai Malhotra, professor de Harvard, estuda o assunto e diz o seguinte: "O desejo de ganhar a qualquer custo tornou-se normal".

Há, hoje, uma sede de vitória sem medida. Tomados pela gana de vencer, muitos adotam estratégias duvidosas, antiéticas e desonestas. 

Esse estado de coisas pode acontecer até mesmo entre os casados. Por isso, devemos ter muito cuidado. Afinal, vencer a qualquer custo, ainda que leve o concorrente à derrota, acaba destruindo tanto o vencido quanto o vencedor. O desejo descontrolado de sucesso desperta toda sorte de comportamento. Promessas não são cumpridas. Amizades são destruídas. A desconfiança cresce no ambiente de trabalho e familiar. A saúde fica comprometida. Em alguns casos, leva até ao suicídio.

O rei Davi nunca desejou a vitória a qualquer custo. Quando teve a oportunidade de matar Saul, que o perseguia sem piedade, qual foi a sua atitude? Vejamos: "Disse Abisai a Davi: Deus te entregou, hoje, nas tuas mãos o teu inimigo; deixa-me, agora, encravá-lo com a lança, ao chão, de um só golpe? Não será preciso segundo! Davi, porém, respondeu a Abisai: Não o mate, pois quem há que estenda a mão contra o ungido do Senhor e fique inocente?" (1 Samuel 26.8, 9).

Melhor do que competir de maneira excessiva, fazendo que a competição descambe para a deslealdade, é ter a consciência limpa. Aquele que assume um papel destrutivo destrói a si mesmo (Marcos 8.36).

"Ai do ímpio! Mal lhe irá, porque a recompensa das suas mãos se lhe dará" (Isaías 3.11). 

No casamento, a luta pela vitória ou o desejo de sempre ter a razão causa males ainda maiores. Quando o casal briga, não há vencedores, somente vencidos. Não vale a pena vencer à custa do amor e respeito dos filhos ou do cônjuge. 

Se a nossa vitória não for honesta, não vale nada! A nossa felicidade não pode ser construída sobre o alicerce da infelicidade dos outros. final, disse Jesus: "Qualquer que procurar salvar a sua vida perdê-la-á; qualquer que a perder salvá-la-á" (Lucas 17.33).

Sejamos vitoriosos, mas de forma justa e honesta, contando sempre com a ajuda do Senhor. Aí, sim, a nossa vitória valerá a pena!

Fonte: Renovação da Fé, ano 15, nº 58, páginas 30 e 31, abril-junho de 2014, (Igreja Metodista Renovada).

Nenhum comentário:

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.