Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

domingo, 19 de janeiro de 2014

A tradição do paletó

A peça tradicional do guarda-roupa masculino já completou 150 anos sem nunca ter sido desprezado.

Considerado símbolo tradicional de poder, o terno ultrapassou barreiras e deixou de ser apenas uniforme oficial do capitalismo. Em um século e meio de existência, a peça de alfaiataria chegou às lojas populares e se modernizou sem perder a elegância. Hoje todas as classes sociais têm acesso ao terno.

Colocando de lado toda a simbologia em torno da roupa, o padrão de vestimenta semelhante nasceu da guerra, da revolução e da peste. Ao contrário do que representa atualmente, surgiu depois que o rei Carlos II da Inglaterra, no século 17, decretou que sua corte se vestisse de forma simples, com menos tecidos e babados. O país havia sofrido um surto de peste bubônica em 1665 e, um ano depois, Londres sofreu com um grande incêndio. Então, o rei ordenou que todos os homens da corte se vestissem com túnicas, camisas e calças. Assim nascia os trajes que evoluíram para o terno que conhecemos hoje.

A palavra terno - que originalmente se referia a um trio: paletó, calça e colete - hoje também é usada para referir-se ao uso de calça e paletó, e se transformou ao longo do tempo. Nos anos 30, houve uma redução no comprimento do paletó. Ao longo dos anos 1940 e 1950 a tendência foi de simplificar e modernizar o processo, tanto quanto possível. Na década de 1960, período de pós-guerra mundial, o tamanho da lapela foi reduzida. Paletós também foram cortados o mais reto possível, sem qualquer indicação de uma cintura. O racionamento do pano mudou estilos significativamente, contribuindo para uma grande redução na popularidade de muitos cortes, como o terno trespassado. Na década de 70, veio a ideia de menos formalidade, usar ternos coloridos, em cores mais vivas. Mostarda, verde, amarelo, caqui e até vermelho vieram para abolir as cores tradicionais mais usadas na época, que eram o azul, cinza e marrom. Assim, deixaram os ambientes de escritórios e são usados em situações variadas, inclusive festas. Ficou mais esporte e já é usado com camisa sem gravata, ou apenas a camisa e a gravata.

Atualmente, o terno representa conforto, elegância e bem-estar, o que determina a ocasião e a forma de uso do terno são as cores e as combinações feitas com ele e os acessórios complementares. Em casamentos de dia, as peças em cores claras sem uso de gravatas são mais escolhidas, se as gravatas são usadas têm tons mais vibrantes. Durante a noite a opção é o uso de ternos mais escuros.

Apesar de tradicionalmente o colete fazer parte do terno, alfaiates costumam confeccioná-lo para que seja vestido com paletós de dois botões.

E.A.G.

Postagem relacionada: A unção da gravata.

Nenhum comentário:

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.