Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Libertos da Gaiola




Fonte: http://youtu.be/UbJ_nH9OoGA

EBD Lição 5: As virtudes dos salvos em Cristo - Lições Biblicas CPAD

Por Eliseu Antonio Gomes

A salvação é obra da graça de Deus, garantida à humanidade mediante à morte expiatória de Cristo na cruz (Efésios 2.8; Hebreus 12.2, 3). Deus em Cristo opera a nossa salvação através do Espírito Santo, que convence o homem do seu estado de pecado.

O brado de Cristo na cruz  "está consumado" representa o significado atemporal da salvação. Nesta declaração, somos salvos do passado, preservados do presente, e alimentamos a esperança no futuro. No passado, com a justificação do pecador mediante sua fé em Cristo; a obra presente da salvação pela prática da santificação como um processo contínuo do crente na presença de Deus; no futuro, mediante o estado de glória na vida além-túmulo. "Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus" - Romanos 8.1.

Paulo escreveu: "... operai a vossa salvação com temor e tremor" - Filipenses 2.12. A orientação do apóstolo não quer explicar que o sacrifício de Cristo no Calvário foi imperfeito e que o cristão precisa fazer boas obras para aperfeiçoá-lo. A instrução do apóstolo indica que a salvação é dinâmica e progressiva, cada cristão precisa desenvolver a sua vida cristã em obediência e santidade.

A salvação é recebida através da prática da obediência, é pela fé (Romanos 1.16, 17). Obediência pode ser definida como "estar sujeito", "sujeitar-se à vontade de...", "estar sob autoridade de...". Quando o apóstolo Paulo cita na carta aos filipenses a palavra obediência refere-se à virtude da disposição de fazer o bem por parte de quem aceitou a mensagem do Evangelho.

Enquanto no mundo, o cristão tem dentro de si a luta dos desejos da carne contra a vontade do Espírito. Todo ser humano é livre para ouvir e acatar a voz do Espírito Santo. Somos chamados por Deus para produzir bons frutos."Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito. Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos" - João 15.7-8.

A Bíblia dá muita importância à virtude moral e ao caráter do que às regras de conduta. O catálogo de virtudes apresentados pelo apóstolo: "Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne. Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis. Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei. Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, fornicação, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus. Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança" - Gálatas 5.16-22.

As boas obras, isto é, obedecer a Palavra de Deus,  evidenciam a salvação (Efésios 2. 9, 10). O cristão precisa viver neste mundo de maneira irrepreensível, conduzir-se de maneira correta e moralmente pura, dominar a carne, andar no Espírito (Gálatas 5. 23). Não ceder aos apetites carnais é uma expressão de amor aos Senhor.  

Os três aspectos da salvação, são: a obra realizada e consumada eficientemente na cruz do Calvário; o caráter progressivo da salvação na vida do crente; a redenção gloriosa quando do retorno de Cristo.

Dar frutos no espírito é praticar obras de amor. Paulo entregou sua vida para servir aos crentes filipenses (Filipenses 2.17).  Para ele, a melhor maneira de praticar o bem é anunciando o Evangelho de Cristo ao mundo e fez isso até as últimas circunstâncias.

E.A.G.

Consultas:
Ensinador Cristão, ano 14, nº 55, página 38, Rio de Janeiro (CPAD)
Lições Bíblicas - Filipenses: A humildade de Cristo como exemplo para a Igreja - Mestre; Elienai Cabral; 3º trimestre de 2013 (CPAD)
Filipenses - A Humildade de Cristo como exemplo para a Igreja, Elienai Cabral, páginas 72-73; 1ª edição 2013, Rio de Janeiro (CPAD). 

domingo, 28 de julho de 2013

Oscar Schmidt ajoelha-se aos pés do papa

Alceu Figueiredo

Cristãos de várias confissões ficaram entristecidos quando viram pela televisão, o grande atleta e campeão; o ex-jogador da seleção brasileira de basquete, Oscar Schmidt, ajoelhar-se diante do papa de Roma. No encontro, tirou o chapéu que usava e ficou de joelhos e, aos pés do pontífice, recebeu uma bênção especial, com direito a gesto de arremesso e bom humor do papa. 

Em seguida, muito emocionado, o ex-atleta disse: “Se não curar agora não vai curar nunca mais. A maior bênção que você pode ter é a bênção do Papa", disse, chorando. 

Até entendemos o nosso campeão, pois se acha em tratamento de um câncer agressivo e, portanto, vulnerável às emoções; também é direito seu adorar como, e quem quiser. Provavelmente não deve ter lido a Bíblia como regra de fé. Aliás, não vi o próprio papa portar uma Bíblia ou ler a mesma nenhuma vez; esporadicamente citava alguns textos.

O que questionamos é o “humilde Francisco” não agir como Pedro, o grande apóstolo da circuncisão que, quando enviado a casa do capitão da corte italiana, o gentio Cornélio, e este percebendo que Pedro fora enviado de maneira especial, tocado por Deus numa divina revelação que lhe mostrava os gentios incluídos no plano de salvação; emocionado, humildemente se ajoelhou diante do apóstolo.

Mas o apóstolo Pedro, cheio do Espírito Santo, disse: “Levante-se! Eu não sou um deus! (Bíblia Viva)”; ou, na tradução católica (Edições Paulinas): “Levanta-te, que eu também sou homem”; ou, na tradução italiana de Giovanni Diodati: “Levati, io ancora son uomo” (Atos 10:26). Qualquer pessoa de mente ainda não cauterizada, que consegue raciocinar por si mesma, sabe que o ato de ajoelhar-se é um ato de adoração; e Jesus disse: “É somente ao Senhor teu Deus que tens de adorar” (Mt 4:10).

Tanto é um ato de adoração, que nem mesmo um anjo de Deus que trazia profundas revelações sobre as últimas coisas, aceitou o ajoelhar-se diante dele. João, na ilha de Patmos, sob forte emoção das visões, ajoelhou-se diante do anjo que lhe falava, mas este disse: “Não faças isso! Eu sou um servo, como tu e teus irmãos, possuidores do testemunho de Jesus. Adora a Deus” - (Bíblia católica, Editora Ave Maria - Apocalipse 19:10; 22:9).

Esse costume condenável de ajoelhar-se diante do papa, como se fosse Deus, teve início no ano 709, e foi uma copia dos imperadores pagãos. Relatos mais antigos mostram que ajoelhar e “beijar” objetos sagrados, como paredes de templos vem de Khajuraho, da Índia, e remota ao ano 2500 a.C.

Diz-se que na Suméria, antiga Mesopotâmia, as pessoas costumavam enviar beijos aos deuses, costume comum entre gregos e romanos também; mas foram os romanos que difundiram a prática, e os imperadores permitiam que os nobres mais influentes beijassem os seus lábios, e os menos importantes às mãos. Os escravos podiam beijar apenas os pés.

Havia ainda três tipos de beijos: O basium, entre conhecidos; o osculum, entre amigos; e o suavium, o beijo dos amantes; foi em razão disso que o apóstolo recomendou aos novos convertidos que saudavam com o “osculum”, que este “ósculo”, agora, deveria ser santo” (Rm 16:16).

É calar ou falar; agradar aos homens ou a Deus. A caridade nos manda falar, com bondade e mansidão. Maria, a escrava [serva] do Senhor [no Magnificat, Lc 1:46-55]; nos forneceu o exemplo de que ao escravo não compete escolher, mas obedecer.

Fonte: Linha do tempo Facebook, postagem cujo título é Um Pouco de Luz (28/07/13).

sexta-feira, 26 de julho de 2013

O que significa ser manso e humilde de coração?



Dias atrás, escrevi sobre a humildade de Jesus Cristo, o seu nascimento em uma estribaria que deveria estar cheia de animais, local fétido. Alguém então fez um comparativo entre riqueza e pobreza, referindo à virtude da humildade relacionando-a à pobreza. É um equívoco pensar assim, porque nem todo pobre é humilde e nem todo rico é orgulho.

O local em que Jesus nasceu não tinha a ver com questão financeira. José procurou estalagem, local adequado para pernoitar com Maria, portanto o problema que ele enfrentou não era falta de dinheiro,  não havia vaga em Belém para alugar (Lucas 2.7).

Uma outra pessoa na conversa, disse: Cristo era humilde,  mesmo que usufruísse de todo conforto de uma condição multimilionária, ainda que tivesse nascido em um suntuoso palácio, cercado de toda a pompa real, continuaria sendo humilde e simples. Comparando o céu, o lugar onde Cristo estava, qualquer posição na pirâmide socioeconomica aqui no mundo é um lixo.
"Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas." - Mateus 11.29. O texto bíblico diz "manso e humilde de coração". Por quê? Porque a humildade cristã que Jesus quer de cada um de nós é na alma, não se refere a  questão de falta ou posse de bens materiais.

Em outra passagem bíblica (João 16.33), Jesus Cristo comentou que no mundo teríamos aflições. E desde o parto percebemos que enfrentou problemas. Imagine a aflição de Maria aos nove meses de gravidez, longe de casa e sem um quarto com uma cama para conceber o bebê. Com isso entendemos que ter dinheiro ou não ter, estamos sujeitos a passar por contrariedades absurdas. E nestes momentos caóticos devemos nos manter mansos e humildes de coração.

Por outro lado, precisamos entender que a permissão de Deus para que Jesus nascesse próximo aos bichos não é necessariamente um problema, porque se tratava do nascimento do Criador de todas as coisas, o evento era o encontro físico do Criador com as criaturas que criou, tanto a flora quanto a fauna. (Salmo 148.5; João 1.1-3). Excetuando os seres humanos Maria e José, quem viu Jesus primeiro foram os animais no estábulo. Tal situação é um recado divino aos homens: prestigiem a natureza irracional!

E.A.G.

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Jesus, o modelo ideal de humildade

Os aspectos da humanidade e divindade de Cristo é a nossa lição exemplar sobre humildade. Sem dúvida, Jesus é o nosso modelo ideal de submissão, humildade e serviço (Filipenses 2.5-8).

A abordagem de textos bíblicos sobre as duas naturezas de Jesus

Jesus Cristo é o Verbo Divino, o Emanuel, Deus Conosco, verdadeiro homem e verdadeiro Deus. Ele é a plena revelação do Altíssimo, a encarnação do Deus Pai (João 1.1; 14.9-11; 20.28; Tito 2.13; Hebreus 1.8; Apocalipse 21.7).

Na Bíblia Sagrada, existem dois títulos que remetem ao que Ele é. Como ser humano, Cristo recebeu o título de Filho do Homem, e em referência à sua divindade Ele é chamado de Filho de Deus (Marcos 13.24; João 20.31).

Jesus Cristo revelou-se de maneira muito frágil, como um bebê, e humana, Jesus de Nazaré. A presença dEle na terra é a suprema mensagem divina à Humanidade. Ao fazer-se ser humano, Cristo esvaziou-se de sua glória celestial e não de sua divindade. Em sua humildade, ao vir ao mundo não quis ser detentor de autoridade política ou da religião judaica. Poderia ter experimentado opulência, ter nascido em palácio, ser posto em berço de ouro, porém, nasceu como o filho de Maria dentro de um estrebaria rodeado de animais e foi acomodado em uma manjedoura; cresceu adotado por José, o trabalhador braçal que sustentava a família como marceneiro;  viveu como cidadão israelita, como mais um entre tantos judeus em Israel.

Ao esvaziar-se de sua divindade, nascer de uma mulher virgem gerado pelo Espírito Santo, deixar de ser divinamente semelhante a Deus para ser semelhante ao homem fisicamente, se fazer homem para se apresentar perto dos homens, viver em carne sem jamais pecar, fazer-se maldição por todos os seres humanos, Jesus levou sobre seu corpo todos os pecados dos homens para que todos recebessem a possibilidade de escapar da perdição eterna (Gálatas 3.13; 4.4). Ao viver impecável da manjedoura ao túmulo e entregar-se em sacrifício no Calvário, venceu o pecado e a morte, e Deus o tirou da sua humanização ressuscitando-o no sepulcro, tornou-o príncipe e Salvador, e o exaltou soberanamente como o Todo-poderoso, dando-lhe um nome sobre todo nome, com autoridade para que todo aquele que invocar seu nome seja salvo (Atos 5.31; Filipenses 2.9; Romanos 10.13; Efésios 1.20-22).

No primeiro século da Era Cristã, o imperador de Roma reivindicava para si o título de senhor e deus. Os apóstolos ao anunciar a Cristo o apresentaram como Senhor, confrontando a presunção e vaidade do império romano. Os cristãos da Igreja Primitiva reconheciam e identificavam Jesus Cristo como a única autoridade para salvar e comandar o reino de Deus. As páginas neotestamentárias referem-se a Jesus 650 vezes como Senhor.

É preciso tomar a decisão de negar-se. Negar a si mesmo representa o ato voluntário de dobrar os joelhos e declarar a Jesus Cristo como Senhor de nossas vidas. A confissão de Cristo como Senhor é ponto importante da igreja. Não basta confessar com os lábios, é preciso expressar com atitudes diárias condizentes com o Evangelho (Atos 10.36; Romanos 10.9; 1 Coríntios 8.6; Marcos 7.6).

A obediência de Cristo

"E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo; e livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão" - Hebreus 2.14-15.

A obediência abnegada de Cristo era exclusiva à vontade de Deus. Após orar dizendo "não seja feita a minha vontade mas a tua" (Lucas 22.42), se deixou levar ao Calvário, no Getsêmane, lá experimentou a extrema angústia, a extrema dor e a morte de cruz. A cruz era símbolo da maldição (Deuteronômio 21.22,23). Assim sendo, aceitou a crucificação para tornar-se a maldição e pudesse resgastar a todos do pecado que gera a morte (Gálatas 3.13; Tiago 1.15).

O que é humildade? 

Sobre o ensino cristão, Jesus Cristo foi claríssimo:

"Aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração" - Mateus 11.29.

"E perguntou-lhe um certo príncipe, dizendo: Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna? Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom, senão um, que é Deus" - Lucas 18.18-19.

Parece paradoxo, mas não é: o equívoco maior e mais comum no meio cristão é confundir subserviência com humildade. Ser humilde é considerar-se um ser criado por Deus, nem superior e nem inferior ao próximo no que tange a aplicar o cristianismo ao modo de viver.  É necessário servir ao outro, entretanto, sem considerar-se menos importante aos olhos do Criador. Sobre isso há o mandamento de amor: ame o próximo como a si mesmo (Mateus 22.39).

"E logo os irmãos enviaram de noite Paulo e Silas a Beréia; e eles, chegando lá, foram à sinagoga dos judeus. Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim" - Atos 17.10-11.

Os crentes de Beréia foram mais nobres que os crentes de Tessalônica porque exerceram a humildade perante o Senhor, amando-o em primeiro lugar, conferindo se o ensino de Paulo conferia com a mensagem divina que portavam em manuscritos.

A humilhação do crente em Cristo deve ocorrer apenas diante de Deus, tal qual fez Jesus ao obedecê-lo em seu projeto de salvação, curvar-se perante homens é praticar idolatria:

"Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará" - Tiago 4.10

"Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte" - 1 Pedro 5.6.

Conclusão

Paulo apela aos cristãos filipenses para que tenham a mesma postura de Jesus. O esvaziamento de Cristo implica no esvaziamento do cristão do sentimento de individualismo, vontade de fazer o mal, egoísmo, opressão, orgulho. Impele à atitude de fazer o bem e amar o inimigo. Constrange a ter o mesmo modo de agir e pensar, a praticar a humildade, sentimento que implica em obediência ao Pai Eterno.

Deus não quer do cristão o sacrifício físico, espera de cada um de nós que sacrifiquemos as paixões carnais, rejeitemos a vontade própria e abracemos a vontade divina (Colossenses 3.1-3; Gálatas 5.16-23).

Quem exerce a verdadeira humildade de Cristo aniquila a própria vontade e faz a vontade do Pai Eterno: ama o próximo fraternalmente, considera o outro superior a si mesmo e ao mesmo tempo considera apenas Jesus como seu único Senhor, ama seu semelhante sinceramente, ama todas as pessoas como Jesus amou (Romanos 12.9-15; Lucas 6.27-36; João 13.3-7; Filipenses 2.3).

Quem vive assim é servo de Deus.

E.A.G.

Consultas:
Ensinador Cristão, ano 14, nº 55, página 38, Rio de Janeiro (CPAD)
Lições Bíblicas - Filipenses: A humildade de Cristo como exemplo para a Igreja - Mestre; Elienai Cabral; 3º trimestre de 2013 (CPAD)
Filipenses - A Humildade de Cristo como exemplo para a Igreja, Elienai Cabral, páginas 60-70; 1ª edição 2013, Rio de Janeiro (CPAD).

terça-feira, 23 de julho de 2013

Datena faz Brasil Urgente sem notas sangrentas


A visita do pontífice ao Brasil provocou um "milagre" na Band. O programa policial apresentado por José Luiz Datena trocou as pautas do mundo-cão de todas as tardes pela viagem do papa Francisco, Jorge Mario Bergoglio, .ao nosso país.

Não houve aquelas câmeras de vigilância flagrando crimes cujo criminoso sempre escapa; nem marido assassino de esposa; não apareceu mãe espancadora de filhos e nem policial com arma na mão. Mas é uma pena dizer que a presença do líder católico em terras brasileiras não deve ter provocado o milagre de verdade, com toda certeza o sangue da violência continuou a correr sem se transformar em notícia do dia.

Datena trouxe ao estúdio Mario Sergio Portela, filósofo e teólogo, especializado na doutrina católica apostólica romana para acompanhá-lo nos comentários. A dupla deve ter feito estrago na audiência das televisões abertas.

E.A.G.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Papa Bergoglio pede delicadeza a Dilma


No Palácio da Guanabara, Papa em discurso diz que não tem prata e nem ouro e pede delicadeza de Dilma para estabelecer diálogo amigo! Depois, seguiu com ela para reunião reservada, que não durou mais que 30 minutos.

E.A.G.

Plugin do Blog Belverede no Facebook



Alguém especial para você

Agora mesmo...
Alguém ama você
Alguém sente sua falta
Alguém quer te abraçar
Alguém admira sua força
Alguém quer rir com você
Alguém quer falar com você
Alguém quer estar com você
Alguém pensa muito em você
Alguém quer segurar sua mão
Alguém está orgulhoso de você
Alguém esta pensando em você
Alguém quer que você seja feliz
Alguém valoriza seu conhecimento
Alguém gostaria de estar ao seu lado
Alguém quer dar a você um presente
Alguém está orando a Deus por você
Alguém quer segura-lo em seus braços
Alguém está se preocupando com você
Alguém quer sair com você e se divertir
Alguém está pensando em você e sorrindo
Alguém está pensando que você é um presente
Alguém quer seus ombros pra chorar sobre eles
Alguém quer que você encontre a pessoa amada
Alguém quer compartilhar seus sonhos com você
Alguém precisa saber que seu amor é incondicional
Alguém quer lhe falar o quanto se preocupa com você
Alguém espera que você não tenha nenhum problema.

Esse alguém é Jesus!

__________

 Autoria desconhecida.

O discurso e a prática charge


Um costume que encontramos nas igrejas, e que me incomoda muito, é quando ao iniciar a reunião de culto uma pessoa pega o microfone e diz: "agora vamos entrar na presença de Deus". Como é que é? Antes ninguém estava na presença do Senhor?

E.A.G.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

O nome de Jesus - Kenneth Haggin: Meu comentário sobre o livro

Costumo me policiar seguindo a diretriz de Jesus quando disse para não emitir julgamentos pelas aparências, apenas pela reta justiça. Então, se algo parece mal, me retraio, se parece bom, me retraio também. Gosto de analisar tudo pausadamente e por todos os ângulos. Sou o tipo de pessoa que escuta mais do que fala.

Não me fio por livros evangélicos de autor X ou Y para viver minha vida cristã. Sempre li bastante, tenho uma biblioteca de porte médio, mas sempre coloquei em primeiro lugar a Palavra de Deus, que clareia meus passos e iluminam meu caminho. Faço uso das Escrituras Sagradas para analisar o entendimento de escritores e pregadores.

O milagre está em sua casa
RR Soares e o suicida de Manaus
Quem não é batizado com o Espírito Santo não é salvo?


quinta-feira, 18 de julho de 2013

Visita de líderança evangélica feminina a Dilma Rousseff é comentada por Marisa Lobo


Foto: André Valadão | Página Facebook Ana Paula Valadão Oficial
Da esquerda para a direita: Ezenete Rodrigues, Ana Paula Valadão, Valnice Milhomens,
Sonia e Fernada Hernandes.


Ana Paula Valadão, Sonia Hernandes, e outras representantes de parte da igreja evangélica brasileira, foram recebidas por Dilma Rousseff no Palácio do Planalto em 15 de julho. O encontro é bastante comentado com críticas negativas, nas redes sociais. Cogita-se, por exemplo, o comprometimento das convidadas com relação ao aborto, que o governo deseja legalizar, e o uso da imagem em peças de campanhas eleitoreiras.

Minhas considerações:

O texto de Marisa Lobo é sucinto e claro. Não é nem preciso interpretação. Ela aborda a visita das representantes evangélica a Dilma Rousseff, pondera se as críticas sobre a reunião são motivadas por machismo ou preconceito. Cita a possibilidade de as visitantes comparecerem ao Planalto para transmitir o amor ao próximo, no caso para a pessoa (alma por quem Jesus morreu) Dilma Rousseff, e não para tratar com a figura da presidenta. Fala também da provável (probabilíssima) intenção da Dilma Rousseff usar a imagem das visitantes politicamente em seu favor. 

Quanto ao termo “machismo”: infelizmente, entendo que tal sentimento existe no coração de muita gente que se diz cristã evangélica, de igual maneira o feminismo. Os dois sentimentos são incompatíveis com o cristianismo. Creio que possa ter havido sentimento feminista no episódio, sim, mas apenas da parte de Dilma Rousseff. Clube da Luluzinha? Por que também não convidou líderes masculinos? 

As representantes evangélicas devem ter exposto o posicionamento bíblico sobre pontos-chaves da nossa fé para a Dilma. Dizer que sim ou não é a questão do preconceito dito pela autora do texto (não temos o conceito/informação, só hipóteses). 

Eu acredito que tal encontro é uma oportunidade para as famílias brasileiras, mesmo que o objetivo do convite fosse de cunho eleitoreiro por parte da cicerone. 

Não é possível erigir nada com firmeza se as bases não forem construídas com cuidado. É importante tratar de questões como o aborto, mas também é importante levar o amor de Deus para o próximo, inclusive quem esteja em cargo presidencial.

Confira o texto de Marisa Lobo:  Marisa Lobo comenta visita de cantoras e pastoras evangélicas a Dilma Rousseff 

E.A.G.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

EBD - Lições Bíblicas, lição nº 3: O comportamento dos salvos em Cristo

Na semana passada, uma pessoa comentava que não existe a palavra "evangélico" na Bíblia. Eu me dirigi a ela dizendo o seguinte: O substantivo "evangelho" significa Boas Novas. Jesus Cristo veio ao mundo trazendo a todos nós a boa notícia da salvação. Todas as pessoas que vivem e anunciam essa mensagem são descritas como evangélicas.

As características comportamentais de um cidadão do céu

"Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus" - Efésios 2.8.

A mensagem de salvação declara que o ser humano é salvo pela graça e amor de Deus, ninguém é capaz de escapar da perdição eterna por méritos próprios. As obras são o resultado da salvação e não a causa delas. Espera-se que o crente pratique obras de arrependimento e amor ao próximo para com a sociedade, comporte-se dignamente, com a consciência que é salvo e não pleiteiando ser salvo.

A cidadania celestial (Filipenses 3.20)

"Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti" - Salmos 119.11.

Na carta aos crentes gálatas (5.16-23), Paulo cataloga nove características de uma pessoa que caminha no Espírito, e neste padrão encontra-se o domínio próprio. O cristão deve manter na vida cotidiana firmeza e equilíbrio, para que todos encontrem nele a conduta compatível com o cidadão do céu.

Em Filipenses 1.27 Paulo lembra a todos sobre a responsabilidade do salvo perante a sociedade. O crente vive em teste de fé, é observado pelos de dentro da igreja e por quem está fora. Se está amadurecido espiritualmente, é uma pessoa preparada para reagir com dignidade ante posição oposta. Em circunstâncias favoráveis e desfavoráveis ele responde com atitudes de amor, porque sabe que "quem ama os outros cumpriu a lei" (Romanos 13.8).

Em Filipos, os cidadãos viviam oprimidos por circunstâncias externas e internas. Na sociedade a cultura religiosa era politeísta e o regime político os forçava a idolatrar o governador; no ambiente da igreja existiam falsos obreiros negando a divindade de Jesus Cristo. Então, Paulo escreveu instruções de maneira a que crescessem na fé e pudessem por si mesmos tomar decisões independentes e acertadas.

Nos dias atuais nós atravessamos momentos em que recebemos tentativas de influências negativas para enfraquecer a nossa fé, quando precisamos tomar atitudes sem ter a quem consultar. O Evangelho de Cristo produz em cada crente um comportamento digno e santo diante do Senhor e do mundo, faz toda a diferença se tivermos no coração a Palavra de Deus para manter o pensamento estável e realizemos avaliações sobre qual procedimento digno a ser praticado.

"Porque a vós vos foi concedido, em relação a Cristo, não somente crer nele, como também padecer por ele, tendo o mesmo combate que já em mim tendes visto e agora ouvis estar em mim" - Filipenses 1.29-30. É digno de nota que o contexto de 1.29-30 não se refere às doenças, adoecer não é padecer por Cristo!

Existem momentos de aflições em que o cristão padece por Jesus, portanto deve estar cônscio que sua chamada cristã não é composta apenas de tempos bons. É quando ele precisa usar o bom ânimo, agir com coragem e perseverança e apresentar a alegria, outra característica do fruto do Espírito, e responder com atitudes e palavras que representem a mansidão de Cristo aos que resistem à nossa fé (João 16.33; 1 Pedro 3.15; Gálatas 5.16.23).

Unidade na diversidade

Diversas vezes em suas cartas Paulo tocou no assunto da norma ética cristã e adverte sobre os sentimentos de individualismo e sectarismo e apela para o uso da humildade de Cristo (Romanos 161,2; Filipenses 2.3; 1 Tessalonicenses 2.12).

Vivemos no cenário brasileiro a  liberdade religiosa, essa liberdade dá margem para abertura de novas portas de pregação. Existem diversas denominações evangélicas espalhadas de norte ao sul, leste ao oeste da nação. O Evangelho de Cristo está acima de todos os dogmas e doutrinas institucionalizadas, portanto, convém ao cristão consultar as páginas bíblicas para separar o joio do trigo, ter condições de diferenciar o movimento genuinamente cristão das iniciativas motivadas por interesses carnais ou heréticos.

Conclusão

Elienai Cabral, comentarista da lição, cita uma reflexão de David Demchuck: "Paulo não está trazendo uma exortação dependente de certas realidades em suas vidas. Antes está desafiando-os sob a suposição de que tais condições, de fato, existem. Esta experiência comum consistia em: encorajamento para ser um em Cristo; conforto no amor de Deus; comunhão no Espírito; ternura e paixão."

A instrução de Paulo estimula o cristão a aprender a portar-se como cidadão celestial em todas as situações da vida, inclusive no sofrimento pelo Evangelho de Cristo, porque tinha a convicção que um dia a adversidade iria acabar e o galardão da fidelidade estava garantido. Este é um bom motivo para que o cristão não se espante, resista às oposições sem se deixar enganar e desanimar (Filipenses 1.28).

E.A.G.

Papa Francisco: móveis e imóveis da Igreja Católica

Jorge Mario Bergoglio está prestes a pisar solo brasileiro como o papa Francisco, para dar andamento na Jornada Mundial da Juventude, evento católico criado por João Paulo II em 1985.

Dias atrás o para Francisco passou um recado bonitinho, sobre viver modestamente (endossando a ideia de S. Francisco de Assis: pobreza = santidade). Ele solicitou aos padres que usem automóveis modestos. Se houver plena sinceridade em sua recomendação, lembrará de imóveis em nome da Igreja Católica Apostólica Romana aqui no Brasil, milhões de hectares, e trabalhará para transferir a posse deles, doará essas terras para tantas famílias que estão vivendo em casas alugadas e tanta gente vivendo como sem-teto. 

Esperamos que, como chefe do estado do Vaticano, não dê andamento em negociações da visita anterior de um papa ao Brasil, que reuniu-se com o então presidente Lula, objetivando ter a homologação ao nome da ICAR de diversas propriedades imobiliárias que sua igreja pretendia possuir gratuitamente.

E.A.G.

Will Smith homofóbico? Homens de Preto na Rússia


Tarde de 18 de maio de 2012, Rússia, terraço do hotel Ritz-Carlton: Will Smith, 43 anos, participa de uma sessão de fotos promocionais para o filme Homens de Preto 3 (Men in Black 3). 

Ao anoitecer, após assistir a estreia do filme, vai ao tapete vermelho, quando um repórter ucraniano "excessivamente gentil", se aproxima, abraça-o e tenta beijá-lo na boca. O ator reage, empurra a pessoa incômoda e faz um gesto como a desferir um tapa no rosto dele: 

- Que diabos é o seu problema? - pergunta, se afastando da pessoa inconveniente. No entanto não perde o controle da situação e continua a dar entrevistas e autógrafos sob olhares assustados de quem estava presente. 

Depois do incidente, outra pessoa que estava no local a realizar reportagem para o TMZ declarou que os lábios dos dois homens chegaram a se tocar, e que o toque gerou a reação brusca do ator. Simpatizantes da causa gay e homossexuais reagiram classificando Smith portador de ódio, intolerante e homofóbico por não permitir ser beijado. 

A nota original termina com um comentário perspicaz: "Estranhamente, essas mesmas pessoas dizem que é direito da mulher recusar que homens fortuitamente a beijem, mas defendem a ideia que um homem não pode recusar o beijo de outro".

 

Fonte: Just Jared

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Três reflexões sobre Filipenses 4

Humildade, o caminho que nos conduz ai trono de Deus.

“Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade” – Filipenses 4.12.

Agora há pouco, aqui no Facebook, troquei postagens com um velho conhecido dos tempos de juventude, trabalhamos numa mesma empresa, congregamos na mesma igreja por muito tempo.

Conversávamos sobre o capítulo 4 de Filipenses, que ele revelou ter sido a pauta de sua ministração no culto da noite de ontem, culto de domingo. Então, me detive com ele em três pontos que eu não tenho visto pregadores se pautarem.

• A briga de Evódia e Síntique (versículo 4):

As duas mulheres eram obreiras valorosas, mas não se entendiam entre si. Paulo mostra-se preocupado com a situação, pede ao pastor delas que administre a crise de relacionamento, que interfira e tome a direção da briguinha como um pacificador.

• O equilíbrio espiritual 

Filipenses 4.8 chama a nossa atenção para a moderação quanto ao planejamento da vida, que deve ser sempre equilibrado. Tocou profundamente meu coração quando me converti e ainda bate forte dentro de mim: “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai”.

• O comportamento durante tempos bons 

O comportamento durante a fartura e a escassez aponta quem realmente somos perante o Senhor (versículo 12).

A prosperidade que Deus dá é dada para compartilhamento, jamais deve ser usada no meio cristão como ferramenta de manipulação, para propósitos egoístas na coletividade da igreja. Recentemente, tive a oportunidade de conversar com uma pessoa que deu uma polpuda oferta para uma congregação da Assembleia de Deus. Nas entrelinhas, deixou escapar uma lamúria, esperava receber uma espécie de compensação do pastor devido ao valor ofertado (apoio para atuar num determinado departamento da igreja). Não sei usar diplomacia, disse: "Você queria comprar o pastor? Cuidado, Deus não se deixa escarnecer! A igreja de Cristo não funciona assim!".

Paradoxal: para o cristão pode não ser fácil viver vida fácil. Existem inúmeros casos na Bíblia Sagrada sobre pessoas, inclusive toda a nação de Israel, que se afastou de Deus no tempo da paz e da fartura. É no momento que tudo vai bem que temos que provar que somos de fato humildes, que amamos mais a Deus do que ao dinheiro, mais pessoas do que coisas.

O assunto é interessante. Paulo declarou que sabia servir a Cristo em tempos de paz, saúde perfeita e abundância. Precisamos saber viver para Deus em 100% de fidelidade no período da prosperidade financeira, amar mais ao Senhor e jamais a Mamom, amar mais ao próximo do que aos bens materiais.

Não tive a oportunidade de ouvir muitos pregadores abordar esse texto bíblico com essa perspectiva, comentar sobre servir a Cristo em tempos de paz, saúde perfeita e abundância. Sempre presenciei a abordagem do lado ruim, a vida de padecer necessidade e passar fome. Por que será? Ainda estou para ver um pregador pregar para quem está vivendo dias de vitórias, dias de fartura e abundância usando Filipenses 4.12. Nos meus quase 30 anos de convertido ainda não vi isso.

A parábola do Bom Samaritano é uma lição sobre isso. Um homem estava caído, ferido, agonizava à beira da morte caído no chão. E passou por ele alguns israelitas que não o socorreram, porque estavam interessados em manter o status social, se importavam mais em cumprir os compromissos da agenda do dia, amavam mais as coisas do que o semelhante. O único coração humildade era o do samaritano, ele parou em sua caminhada de trabalho para atender ao necessitado, teve a iniciativa de prestar todos os cuidados necessários ao sujeito desconhecido. Sobre ele repousa a recomendação de Jesus para que o imitemos. Vide: Lucas 10.25-37.

Conclusão

Viver indiferente ao que Deus determina e estar indiferente às carências do próximo é uma situação de desequilíbrio espiritual, significa não saber usar as bênçãos que Deus tem reservado para nós. Se tal pessoa é incapaz de administrar corretamente o bem-estar, jamais poderá proferir a declaração de Paulo: “posso todas as coisas”.

Enfim, que possamos declarar tal qual o apóstolo: "posso todas as coisas naquele que me fortalece" (Filipenses 4.13)!

E.A.G. ‪

domingo, 14 de julho de 2013

Quando o bebê nasce

Considero que a vida de casal tem duas etapas: antes e depois da chegada do bebê.

O relacionamento entre marido e mulher muda após o nascimento da criança. A mudança não é melhor ou pior, só diferente. A diferença é que o casal terá que ampliar o amor ao recém-chegado, dando a ele a atenção e cuidado necessários na medida certa. Para ser marido e esposa exemplar com seu cônjuge, e bom pai e mãe ao filho, é necessário encontrar o equilíbrio de atenção dentro de casa de um para com os outros. Aprender a administrar as doses ideais de atenção entre as pessoas no lar faz com que a estrutura familiar seja tal qual uma muralha indestrutível.

A fórmula para tal relacionamento interpessoal está na Bíblia Sagrada, a regra de fé e conduta – para todas as ocasiões – de quem é cristão. As páginas bíblicas contém o ensino de como proceder corretamente na vida de casal e de pais e filhos. Para ser exemplo de marido e esposa, pai e mãe exemplar, basta colocar ensinamentos bíblicos em prática.

E.A.G.

Proteste na urna eleitoral

As manifestações de rua só surtirão efeito ideal se os manifestantes levarem a mesma indignação para as urnas eleitorais. Faixas, placas, gritos são impactantes, mas não mudam o futuro do país para melhor sem a força do voto certo.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

A espionagem americana no Brasil

É claro que as acusações de espionagem do governo americano ao Brasil são graves. Mas me parece que a presidenta Dilma Rousseff e uma grande parcela da classe política usa este assunto como uma forma de fazer o povo esquecer as reivindicações apresentadas nas ruas do Brasil no mês de junho.

Alguns traços interessantes de cartunistas sobre espionagem:


http://blogdomariomagalhaes.blogosfera.uol.com.br/2013/07/09/espionagem-por-jean-galvao/


http://br.noticias.yahoo.com/blogs/alpino/

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Lições Bíblicas - lição nº 2: Esperança em meio à adversidade - EBD - CPAD

Por Eliseu Antonio Gomes

Deus não está doente

Deus se alegra com a fidelidade das almas, tem prazer em estar com pessoas fiéis em ocasiões de felicidade.

Inacreditavelmente, existem pessoas que acreditam que Deus se alegra com o sofrimento de seus servos, creem que Ele contribui para que os cristãos estejam envolvidos em situações trágicas de tribulações e fome.

Deus é são, não é sádico, não é carrasco. Deus não se alegra com o sofrimento humano, não aprova o coração de quem sinta prazer em viver sofrendo pela causa do Evangelho. O sentimento perverso do masoquismo, que é o prazer em sofrer, não tem nenhuma relação com o propósito do cristianismo. O mandamento do Senhor é que cada cristão queira o bem de si mesmo e também ame ao próximo (Gálatas 5.14).

Jesus Cristo - que é o caminho, a verdade e a vida - nos recomenda a orar pedindo a Deus que nos livre do mal (Mateus 6.13).

As adversidades podem contribuir para a expansão do Evangelho.

Deus é Espírito e o Espírito sopra em todas as circunstâncias, quando e onde quer. Ele é soberano sobre tudo e todos, não existe nada que o impeça de alcançar seus objetivos. Situações que na perspectiva humana são tempos de bonança ou de adversidade estão no mesmo nível diante do seu poder divino (João 3.8; 4.24).

Todo aquele que nasceu do Espírito adora ao Senhor em todos os lugares e momentos. Não é necessário estar em situação ruim para ser um vaso útil nas mãos do Senhor. O apóstolo Paulo definiu isso muito bem: "Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece" - Filipenses 4:12-13

Assim sendo, tanto experiências de sofrimento humano quanto de prosperidade são ensejos importantes para anunciar a mensagem das Boas Novas. Paulo instruiu os cristãos a remir o tempo: "Aproveitem ao máximo todas as oportunidades"  - Colossenses 4.5b (NVI).

A estrutura espiritual de Paulo

O episódio da prisão de Paulo em Filipos foi decisivo para a expansão do Evangelho. Ao escrever a carta aos crentes filipenses estava preso em Roma, em estado físico fragilizado, aguardando julgamento perante o supremo tribunal do império.

No capítulo 1, o apóstolo enfatiza seu compromisso com Jesus acima de qualquer adversidade, esclarece que as cadeias não o impediam de proclamar o Evangelho. Em meio ao infortúnio, foi ousado. Viveu como um instrumento de Deus para edificar espiritualmente os irmãos na fé e encorajá-los a proclamar as Boas Novas no mundo.

Para ele era possível ter esperança em meio à adversidade. Atrás das grades de uma cela, ele escreveu: "E quero, irmãos, que saibais que as coisas que me aconteceram contribuíram para maior proveito do evangelho; De maneira que as minhas prisões em Cristo foram manifestas por toda a guarda pretoriana, e por todos os demais lugares; E muitos dos irmãos no Senhor, tomando ânimo com as minhas prisões, ousam falar a palavra mais confiadamente, sem temor" - Filipenses 1.12-14.

A estrutura espiritual da igreja

O encarceramento de Paulo serviu para pregadores inescrupulosos aproveitarem o aprisionamento e tentarem enriquecer às custas do sofrimento alheio. Nos dias atuais ainda existe quem não tenha temor de Deus e se aproveite de catástrofes alheias para obterem vantagens pessoais, usam acontecimentos ruins na vida do próximo para benefício pessoal. São pregadores que se assemelham aos vendedores de água aos que morrem de sede em período de estiagem.

Mas, além do joio no meio cristão existe o trigo também. Muitos pregadores usaram o sofrimento do apóstolo para proclamar Cristo de boa consciência. Assim como eles é preciso que sejamos nós, agindo como evangelistas no círculo social em que moramos, estudamos e trabalhamos, ou em missões transculturais. Em situações favoráveis e desfavoráveis é necessário estar animado para anunciar o plano da salvação aos que não conheceram Jesus Cristo como Senhor e Salvador.

Conclusão

Pessoas que  colocaram Cristo como o centro de suas vidas mantém-se fiéis ao Todopoderoso e continuam a ministrar a pregação da salvação de almas independente das cores da ocasião. Haja circunstâncias propícias ou não, elas seguem adiante como porta-vozes da mensagem celestial, pois são conscientes que a vida só encontra seu significado verdadeiro quando se vive para o Evangelho.

O Evangelho continua a ser transmitido atualmente por missionários que possuem ousadia semelhante a de Paulo, pessoas que não se deixam abater pelo sofrimento provocado por perseguição religiosa ou de outra origem, fazem da adversidade ponto positivo, fator contribuitivo, para o avanço do Reino de Deus. E também por gente que não perde o foco missionário em tempos confortáveis, quando a vida está em  paz e cheia de felicidade, porque tem plena consicência e consideração pelo compromisso missionário como incumbência dada pelo Senhor.

E.A.G.

Definição do ignorante religioso


Por Eliseu Antonio Gomes

"O que despreza a palavra perecerá, mas o que teme o mandamento será galardoado" - Provérbios 13.13. 

Atribui-se a Marc Bloch, historiador francês, a seguinte frase: "A incompreensão do presente nasce fatalmente da ignorância do passado. Mas talvez não seja mais útil esforçarmo-nos por compreender o passado se nada sabemos do presente". Sem endossar a frase, lembro que ignorância é a ação de ignorar. No contexto social da atualidade, o termo "ignorante" é usando para aqueles que possuem pavio curto e ignoram o diálogo e a paciência, preferem a contenda sem pensar em usar diplomacia.

"Ignorância opõe-se a sapiencia. Sapiência é sabedoria", lembrou-me um amigo com toda razão. É necessário ponderar sobre a diferença entre inteligência (capacidade do aprendizado rápido e fácil) e sabedoria (o estoque de conhecimento adquirido). 

O apóstolo Tiago (1.5-6) escreveu que todo aquele que quiser ser sábio tem a possibilidade de receber a sabedoria divina, se orar com fé pedindo-a ao Senhor. Deus dá a sabedoria a quem pedir, disponibiliza as informações necessárias para quem quer ser mais sábio nas páginas da Bíblia Sagrada. Levanto a questão da interpretação deste trecho bíblico. Não é correto pensar que a sabedoria divina (estoque do saber) é dada de repente. Tcham, durmo e acordo sabendo tudo? Não é assim.  É preciso estudar. Precisamos pôr a inteligência em ação, para ser sábios sobre as coisas do Senhor. Precisamos fazer a nossa parte, usar a intelegência dada a todos os seres humanos de maneira inerente.

No meu modo de entender, os piores ignorantes são os que desprezam a Palavra de Deus. Tudo o que Ele quer de nós está escrito, o indivíduo às vezes sabe superficialmente o conteúdo bíblico e como aplicá-lo mas não tem disposição para aumenar seu saber e não o aplica ao seu modo de viver.  

E.A.G.

terça-feira, 9 de julho de 2013

sábado, 6 de julho de 2013

Estação Pirituba CPTM: grafite Michael Jackson



Na semana passada, assisti por acaso num desses canais por assinatura parte de um documentário sobre a vida de Michael Jackson (1958-2009). Um amigo registrou momentos do cotidiano do cantor, sem o uso de maquiagem e roupas extravagantes dos palcos. Era sua privacidade do lar, intimidade como ser humano, momento como pai.

Enquanto em vida muita gente chamou o cantor de louco e esquisito, fez piadas ridicularizando-o. Agora, após a morte diz o extremo oposto, que foi um gênio revolucionário da música pop e da dança.

Me surpreendi com uma das fotos, que deve ser rara. Ele já estava na fase da pele branca, foi fotografado sem fazer pose ao lado dos filhos, Prince, Paris e Blanket (se não me engano haviam apenas duas crianças). O flash flagra o vitiligo espalhado em um dos braços do cantor. Vendo a doença de pele de Michael Jackson, mesmo sem concordar com a metamorfose que ele se submeteu em tratamento de ambulatório (não sei qual é o nome do processo clínico que muda a cor negra para branca), dá para compreender um pouco mais a mente dele. O tratamento de clareamento era para esconder a doença, que provocava tonalidades escura e clara no corpo. Isso explica seu objetivo estético, não era vontade de desprezar sua origem de descendência africana.

Ainda me lembro o dia em que ele morreu. Era uma tarde e navegava por sites dos Estados Unidos quando li que havia falecido. Este blog esteve entre os primeiros a postar o ocorrido no Brasil (aqui). Fui escrevendo e atualizando aos poucos o texto, acompanhando as atualizações de sites gringos e dos canais de notícias Fox e CNN. O fato fez as visitas a esse espaço ter um grande salto numérico.

Orem pelos três órfãos desse cantor. A filha, Paris, é uma menina que dá sinais de possuir tendências suicidas. Cercada de parentes da família de Jackson, preferiu pedir ajuda de estranhos postando um vídeo na internet, depois cortou um dos pulsos e tomou comprimidos. Diversas pessoas, sem diploma de medicina, tal qual disseram de seu pai, também estão dizendo sobre ela, que é louca. Prefiro pensar que seja atitude de desespero causado pela saudade do pai e pela falta de Jesus no coração dela.

E.A.G

quarta-feira, 3 de julho de 2013

A vitória da Seleção Brasileira e a espiritualidade

Flora Genoux | Le Monde.fr
Domingo passado, houve jogo de futebol com a disputa da Seleção Brasileira contra a Seleção Espanhola, decidindo o primeiro lugar da Copa das Confederações. A partida ocorreu justamente no horário em que são realizadas reuniões em igrejas evangélicas. Resultado: alto número de ausências dos crentes na igrejas.

Numa rede social um pastor comentou isso: 

"Quando eu aceitei Jesus como meu Salvador, lembro que era uma falta de espiritualidade deixar de ir ao culto por qualquer programa que fosse. Agora, vivemos em uma época que as pessoas deixam de ir ao culto por nada. Misericórdia! Os crentes ficam diante de um programa de televisão duas horas tranquilamente, mas resistem ao sermão de quarenta minutos. O que vocês acham disto?"

Participei da sua proposta de fórum e o respondi:

Nós sabemos e relembramos agora: somos o templo do Espírito Santo e vamos ao templo físico para em assembleia (eklesia) adorar a Deus. O culto ao Senhor deve ser pleno na vida do cristão; antes, durante e após aquelas duas horas dentro do templo físico. Salvo valiosas exceções, quem costuma afastar-se do culto coletivo não presta com regularidade culto particular ao Senhor: não cultua em casa, não cultua na escola e nem no trabalho.

Existe mais de um fator para que pessoas resistam aos sermões, que pode ocorrer em paralelo ou separadamente. Às vezes é a falta de espiritualidade de quem ouve, às vezes é por causa de assentos e ambiente pouco confortáveis, outras vezes, porque a homilética do pregador deixa a desejar. Que Deus nos abençoe para estar acima de tudo isso, e tenhamos sempre boas condições em todos os aspectos para ouvir os sermões no templo.

E.A.G.

terça-feira, 2 de julho de 2013

Lições Bíblicas - lição nº 1: Paulo e a Igreja de Filipos - EBD - CPAD

Por Eliseu Antonio Gomes

Autoria, local e data da redação

A Carta aos Filipenses foi escrita por Paulo por volta de 60/63 d.C., está no grupo das cartas de prisão (Filipenses, Filemon, Colossenses e Efésios). Pelo nome de Timóteo estar citado na saudação inicial, versículo 1, ele é considerado coautor, sendo que todas as orientações são creditadas ao apóstolo.

Paulo estava preso quando a carta foi redigida. Há controvérsia entre os estudiosos quanto à cidade em que ele estava no momento da redação. Alguns acreditam que estava em Cesaréia, outros em Éfeso, no entanto parece claro que estivesse em Roma porque menciona a guarda romana pretoriana - tropa de elite que cuidava da segurança do imperador (4.22). Contudo, é preciso considerar que os administradores de colônias romanas eram chamados de pretores (Atos 16.22, 35, 36, 38).

A cidade 

Filipos foi fundada em 360 a.C. por Filipe da Macedônia, pai de Alexandre o Grande, construída na aldeia de Krenides em Tracia. Era uma pequena cidade usada como rota entre a Europa e a Ásia, serviu como um centro militar significativo e recebeu privilégios especiais. Sob o governo de Roma se tornou a principal cidade da Macedônia, um dos quatro distritos do que hoje é a Grécia.

Filipos foi a primeira cidade européia a receber o Evangelho (Atos 16.6-40). A casa de Lídia, uma negociante de púrpura, serviu para Paulo como ponto inicial para estabelecer o primeiro núcleo da comunidade cristã na região.

Os atos de oração e motivos da ação de graças do apóstolo Paulo

A relação que o apóstolo tinha com a igreja filipense era íntima e cordial. O apóstolo visitou Filipos diversas vezes. A Carta aos Filipenses retrata suas constantes orações e ações de graças  por aquela comunidade. Escreveu a carta com o propósito de expressar seu sentimento de gratidão aos filipenses por suas assistências generosas; para informar o seu estado pessoal na prisão de Roma; transmitir à congregação a certeza do triunfo do propósito de Deus na sua prisão para levar membros da igreja de Filipos a se esforçarem em conhecer melhor o Senhor, conservando a unidade, a humildade, a comunhão e a paz.

Outros motivos pertinentes para escrever

O conteúdo apresenta  ensinamentos doutrinários com extrema lucidez e a alegria do Espírito na vida do apóstolo. Além de agradecer, Paulo redigiu a epístola abordando o caráter de Deus, a alegria, o serviço, o conflito e o sofrimento dos santos. E com maior ênfase o senhorio de Cristo (o Kyrios de Deus, 2.9-10).

• 2.1-4 - Preveniu a comunidade cristã do perigo de cultivar o hábito da competição, egoísmo e individualismo ;
• 2.5-8 - Apresentou a doutrina da kenosis - a auto-humilhação ou auto-esvaziamento de Cristo, que é uma das passagens bíblicas mais importantes no Novo Testamento;
• 2.19-30 - Informou a visita de Timóteo e explicou a razão do retorno inesperado de Epafrodito;
• 3.1-3 - Alertou acerca dos pregadores judaizantes que depositavam a salvação nos costumes passageiros e na observação da Lei para aplacar os desejos carnais (Colossenses 2.23);
• 3.4-14 - Redigiu um retrato autobiográfico significativo.

Conclusão

Embora Paulo estivesse escrevendo da prisão, a alegria faz parte de todos os temas. O segredo de sua alegria está baseada no seu relacionamento com Cristo. Atualmente as pessoas desejam desesperadamente ser felizes, e debatem-se entre o sucesso, fracassos e obstáculos de cada dia. Os cristãos devem manter a fé e o ânimo, ser alegres em todas as circunstâncias, mesmo quando as coisas estão ruins, mesmo quando sentem vontade de se queixar, mesmo quando há motivo para estar triste. Por quê? Porque Cristo reina em todas as ocasiões. E assim como Paulo declarou, também podemos declarar: "posso todas as coisas naquele que me fortalece" (4.13).

E.A.G.

Compilação e texto de quem assina esta postagem:
Ensinador Cristão, ano 14, nº 55, página 36, Rio de Janeiro (CPAD).
Lições Bíblicas - Filipenses: A humildade de Cristo como exemplo para a Igreja - Mestre; Elienai Cabral; 3º trimestre de 2013 (CPAD), 
A Bíblia Anotada Charles C. Ryrie expandida, edição 2007, página 1.157, Cidade Dutra - SP (Editora Mundo Cristão).
Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal, edição 2004, página 1.659, Rio de Janeiro (CPAD).

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Charge: churrasco em casa


Lições Bíblicas CPAD - 3º tri 2013: Filipenses: A humildade de Cristo como exemplo para a Igreja

No terceiro trimestre de 2013, a Casa Publicadora das Assembleias de Deus aborda a epístola de Paulo aos filipenses, contemplando temas diversos, principalmente o senhorio de Jesus Cristo. 

Os comentários da revista foram escritos por Elienai Cabral, membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil, Casa de Letras Emílio Conde, conferencista, autor de livros publicados pela CPAD.     .

 Lição 1 - Paulo e a igreja em Filipos
Oração que inspira compromisso

Lição 2 - Esperança em meio à adversidade
As defições de esperança aos crentes e descrentes

Lição 3 - O comportamento dos salvos em Cristo
A importância do evangelista no plano da salvação

Lição 4 - Jesus, o modelo ideal de humildade
A humildade de Cristo como exemplo para a Igreja
Humildade - três reflexões em Filipenses 4 | Ilustração: http://migre.me/fGVqa
Lição 5 - As virtudes dos salvos em Cristo

Lição 6 - A fidelidade dos obreiros do Senhor
O cristão pacificador

Lição 7 - A atualidade dos conselhos paulinos

Lição 8 - A suprema aspiração do crente

Lição 9 - Confrontando os inimigos da cruz de Cristo

Lição 10 - A alegria do salvo em Cristo

Lição 11 - Uma vida equilibrada

Lição 12 - A reciprocidade do amor cristão

Lição 13 - O sacrifício que agrada a Deus

A sabedoria do céu


A sabedoria espiritual é imparcial. Imparcialidade tamanha que engloba até nós mesmos - nos faz avaliar erros e acertos próprios nos relacionamentos interpessoais, e nos faz consertar o que for necessário para uma convivência em paz - à luz da Palavra.

“Mas a sabedoria que do alto vem é, primeiramente pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, e sem hipocrisia” - Tiago 3.17.

E.A.G.

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.