Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Cumprindo as obrigações diante de Deus


Por Eliseu Antonio Gomes

Em todas as áreas da vida temos direitos e deveres. Temos responsabilidades a cumprir em família como pai/mãe ou filho (a), em trânsito como motorista ou pedestre, na escola como professor ou aluno, na indústria como empregador ou empregado, no comércio vendendo ou comprando.

Em nosso relacionamento com Deus também existe um senso de responsabilidade a ser cumprido, seja como líder ministerial ou o mais simples membro na congregação. Nosso compromisso com Deus é prestar-lhe culto sincero. O idioma grego oferece duas palavras para culto: latreia e proskuneo. A primeira refere a adoração e a segunda significa reverenciar.

É obrigação de todo cristão esforçar-se para conhecer a Deus.

Nosso Deus é Santo, Amoroso, Misericordioso. É necessário ao ser humano, em sua totalidade, apresentar-se diante dEle santificado; o corpo, a alma e o espírito irrepreensíveis para render-lhe glórias (1 Tessalonicenses 5.23). Como fazer isso? É nossa obrigação imitar quem Ele é em nosso jeito de viver, nos afastando do estilo de vida pecadora, amando o próximo, e agindo com misericórdia para com todos em nossa volta. Agir conforme as explicações em Marcos 12.33 e Tiago 1,27: amá-lo de todo o coração, e de todo o entendimento, e de toda a alma, e de todas as forças, e amar o próximo como a si mesmo, é mais do que todos os holocaustos e sacrifícios"; "a religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo". 

Nosso Deus é transcendente: um Ser cuja Pessoa Divina ultrapassa o senso comum dos seres humanos - sabemos sobre Ele apenas aquilo que nos permite saber (Deuteronômio 29.29). Nosso Deus também é imanente: tem o atributo da onisciência, onipresença e onipotente - está em todos os lugares; sabe tudo; e pode tudo (Salmo 33.6-11; 135.6;  Jeremias 23.24; Efésios 4.6).

É obrigação do cristão respeitar o ambiente de culto.

Salomão escreveu o capítulo 5 do livro Eclesiastes, exortando sobre o perigo de pela força do hábito o crente praticar adoração vaidosa, indiferente.

"Guarda o teu pé, quando entrares na casa de Deus; porque chegar-se para ouvir é melhor do que oferecer sacrifícios de tolos, pois não sabem que fazem mal" (versículo 1).  "Guarda o teu pé" é uma exortação a tomar cuidado, prestar atenção e ouvir com intenção a obedecer, jamais substituir o propósito da reunião de culto a Deus por intenções ligadas às coisas materiais dessa vida.

"Não te precipites com a tua boca, nem o teu coração se apresse a pronunciar palavra alguma... sejam poucas as tuas palavras" (versículo 2). A presença do crente no culto a Deus deve ser humilde, com o coração devotado a tributar reverência com os lábios, estar disposto a calar e ouvir pois a exposição da Palavra é alimento para a alma.

Certa vez Jesus Cristo foi ao templo judaico e ficou indignado com o comportamento das pessoas presentes. O louvor não era perfeito, a adoração era negligenciada. Havia comércio de pombinhos, usados nos sacrifícios. Acontecia a atuação de cambistas, eles trocavam a moeda de circulação comum pela de Israel, ofereciam aos judeus siclos tírios ou hebreus, que possuíam peso padronizado, eram perfeitos, e depositados no gazofilácio como ofertas (Mateus 21.12).

Na Antiga Aliança, os israelitas eram instruídos a reverenciarem o sábado como dia santo e o santuário do Senhor desde sua infância, o judeu adorador era representado por um sacerdote e entregava sacrifícios durante o culto (Levítico 19.19.30; 26.2); na Aliança atual o adorador cristão tem a figura essencial de Jesus Cristo como seu único mediador diante de Deus, então é capaz de estar na presença do Pai, adorando-o, sem a necessidade de fazer sacrifícios (Efésios 2.18; 1 Timóteo 2.5).

A falta de reconhecimento do valor do culto reverente é fator para tornar vão o tempo que o crente se ocupa durante as liturgias praticadas nas reuniões no templo (Jó 15.4). O crente precisa aplicar-se eficientemente em sua função de adorador. Deve frequentar as reuniões no templo para usar dons espirituais e talentos natos com o único objetivo de reverenciar a grandeza de Deus, prestar homenagem a divindade do Criador, orar, pregar, profetizar, cantar, tocar instrumentos para edificação coletiva.

É obrigação de todo cristão adorar a Deus, mas como ato obrigatório mas por amor.

Deus procura adoradores que O adorem em espírito e em verdade, pessoas dispostas a amá-lo além de discursos e teorias (João 4.24; Mateus 22.37). "Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional" - Romanos 12.1.

Será que os filhos de cristãos são ensinados desde pequeninos a adorar a Deus no templo de maneira correta? Muitos crentes confundem cultuar ao Senhor com ir à igreja. Sem ater-se em propósitos espirituais, fazem uso da liberdade do tempo na participação de culto desordenadamente. Muitos vão ao templo mas não sabem cultuar a Deus de maneira santa e agradável. Desperdiçam o tempo ali, durante hinos envolvem-se em atividades frívolas, durante a mensagem bíblica o pensamento vagueia bem longe dali.

"Que fareis pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação" -  1 Coríntios 14.26.

O verdadeiro culto ao Senhor é adorá-lo conscientemente. É importante ao cristão saber a significância de adorar a Deus, ter claro em sua mente o motivo de ser reverente; entender que a devoção genuína é reconhecer que Ele é único e digno de receber toda honra, toda glória e todo louvor e dedicar-se com a máxima capacidade humana a fazer isso através da música, ensino das Escrituras e exposição da Palavra de Deus.

E.A.G.

Artigo baseado em comentários de:
A Bíblia Anotada Expandida, Charles C. Ryrie, 2007, São Paulo, (Editora Mundo Cristão).
Bíblia Sheed, 2011, São Paulo, (Edições Vida Nova);
Ensinador Cristão, página 41, Rio de Janeiro (CPAD)
Lições Bíblicas, José Gonçalves, 4º trimestre de 2013, Rio de Janeiro (CPAD).

Um comentário:

Paulo Martins disse...

Caro Eliseu. Continuo acompanhando o seu ótimo blog. Tive o prazer de adquirir aqui em Mossoró, junto ao pessoal da Consciência Cristã, o livro Blogs Evangélicos, que conta com a sua participação. Em tempo, estou dando sequência à minha participação na blogosfera, agora com o Carta de Paulo - www.cartadepaulomartins.blogspot.com
Um abraço e paz do Senhor.

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.