Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

A ira, o discernimento e o perdão

Perdão

Após alguém próximo de nós demonstrar não merecer o afeto e a confiança que depositamos nela, agir com ingratidão em resposta ao nosso sentimento de afeição e ato de ajudá-la, ou ainda sofrer a agressão de um estranho, devemos ter a disposição de perdoar.

Mas não precisamos agir como se nada de ruim tivesse acontecido. Proteja-se. Siga adiante sem guardar mágoas, esforçando-se para viver a sua vida em paz e deixando o outro viver em paz também.

Quem perdoa tem a liberdade de continuar se relacionando com a pessoa perdoada, ou afastar-se dela quando os erros se repetirem de maneira proposital, prejudicando-a. Perto ou longe de quem erra contra nós intencionalmente, é importante conceder perdão, pois o perdão é bênção maior para quem perdoou e menor para quem está perdoado.

Perdoar nunca será sofrer com memória fraca, não é amnésia. Perdão é abrir mão da vingança, sempre será ter a lucidez para reconhecer que o outro não é perfeito. O perdão é uma chave para fechar todas as portas cujas aberturas representam riscos constante para a saúde física e espiritual de quem se dispõe a relevar. .

Ira

Algumas pessoas interpretam errado o que a Palavra de Deus diz sobre a ira. Eles dizem que a ira é pecado. Irar-se não é pecado (Confira: Efésios 4.26). A ira é um sentimento dado por Deus, que junto à adrenalina capacita o ser humano à autodefesa e defesa de terceiros. Compete a cada um usar a ira junto com o autocontrole. Ao controlar-se quem está irado não peca.

Outra turma de leitores da Bíblia, interpretam de maneira errada Tiago 1.19: "Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar." O texto bíblico diz que não convém ser precipitado em momentos que a raiva está aflorada. Mas muitos usam o versículo para protelar os compromissos de tomadas das decisões mais importantes, parecem usar Tiago 1.9 para não ir à luta, para permanecer em posição confortável, não parecer antipático aos malfeitores porque deles pode receber alguma espécie de benefício.

Discernimento

Muitas pessoas pensam que o exercício da mansidão é comportar-se como frouxo. Ledo engano. "Se te mostrares frouxo no dia da angústia, a tua força será pequena" - Provérbios 24.10. Ser manso é ter a sabedoria para agir ou parar de agir no momento ideal.

De fato, falar muito não é uma virtude. E do outro lado, silenciar quando é necessário marcar posição é um hábito a ser corrigido.

"Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo." - Provérbios 25.11.  A sabedoria divina nos recomenda discernir os momentos corretos de abrir e fechar a boca (Eclesiastes 3).

Acredito que o mundo está cheio de cristãos emudecidos, que se negam a se pronunciar em assuntos relavantes para a nossa geração. Deveria haver mais vozes de lideranças cristãs evangélicas se posicionando contra o aborto, por exemplo. Essas vozes, com certeza, teriam apoio nacional, não ficariam sozinhas.

E.A.G.

Um comentário:

Nal Pontes disse...

Muito edificante essa reflexão uma verdadeira doutrina. Que possamos aprender que devemos perdoar por que é um mandamento não um desejo. Fica na paz a paz do Senhor Jesus.

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.