Research | Pesquisar artigos de Belverede

Select the language

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Feliz foi Adão que não teve sogra

Por Jayme Kemp

Esta frase que aparece nos pára choques de alguns caminhões reflete um pouquinho daquilo que o homem pensa de sua sogra. Dou graças a Deus pela minha sogra. Ela é um "jóia". Não interfere de forma alguma em nosso relacionamento conjugal. Mas, o melhor de tudo é que ela mora há dez mil quilômetros de distância! Estou brincando é claro! Gosto muito dos meus sogros. Afinal de contas, me deral uma pessoa muito preciosa: a minha esposa.

Não tenho tido muitos problemas no relacionamento com meus sogros. Eles contribuem bastante para nossa vida conjugal, não somente na área financeira (cuja participação tem sido muito significativa), mas também nos encorajam, aconselham e execem influência positiva na vida de nossas filhas.

Estou consciente de que, para a maioria das pessoas, é muito difícil abordar o assunto sogros. Em muitas famílias esse tipo de relacionamento compõe-se num verdadeiro campo de batalha.

É preciso que, constantemente nos lembremos de que a família é invenção de Deus. Portanto, Ele tem a orientação exata para todos os relacionamentos familiares. Gênesis 2.24 é um versículo muito importante pois, nos dá as bases para a edificação da família. Isso é comprovado pelo fato de, séculos mais tarde, Jesus haver se referido a essa passagem quando falou sobre a família, em Mateus 19.4-5. O apóstolo Paulo em suas exortações sobre o casamento, em Efésios 5.22-33, também se referiu a este trecho. Os princípios eternos de Deus sobre a família são aplicáveis a qualquer época e cultura.

Em Gênesis 2.24, Deus dá uma "dica" importante para nosso relacionamento com os sogros. "Por isso deixa o homem pai e mãe...".

Deus disse que o homem e a mulher precisam deixar mãe e pai. É um "deixar" emocional . O homem assume uma nova função: passa a ser o marido de sua esposa. O mesmo acontece om a mulher que passa a ser a esposa de seu marido. Ambos "deixaram" seus pais no sentido de que assumiram uma nova função dentro da família. Portanto, para que este novo relacionamento entre os recém-casados possa ser desenvolvido normalmente, o cordão umbilical precisa ser cortado. Isto não significa que os filhos vão cortar o contato com seus pais, ou que, vão abandoná-los ou ignorá-los. Significa, porém, que os filhos vão se desligar emocionalmente da depência dos pais, que durante a vida deram segurança, proteção e apoio financeiro. Se este "deixar" não acontecer, o "unir-se", que significa cimentar, será prejudicado. Se esxiste um presente que os pais podem dar a seus filhos, no dia do casamento, esse presente é a libertação. Os filhos precisam saber disso. Portanto, é importante que os pais expressem esse compromisso verbalmente. Isto pode ser usado para cimentar o novo relacionamento.
 
Esse deixar é uma das responsabilidades mais difíceis para os pais. E não somente para os pais mas também para os filhos. Deixar mãe e pai pode ser uma das decisões mais difíceis e dolorosas de se tomar. De fato, em muitos casos, casais têm sido prejudicados em seu relacionamento porque os filhos nunca se desligaram emocionalmente de sua família.

Falando em se desligar dos pais, quero adicionar uma palavra. Seu marido é seu marido e não seu "pai". Sua esposa é sua esposa e não sua "mãe". Você pode achar que não tem importância usar estes termos para se dirigir a seu querido ou querida. Mas creio que isto é capaz de atrapalhar o sentimento de romantismo de um para com o outro. Você deixa pai e mãe, não se casa com eles.

Para ilustrar a importância disso, quero narrar a história de Roberto e Andréa. Recém-casados, Andréa estava certa tarde na cozinha preparando o jantar. Aí ela pensou: "Que farei para a sobremesa? Ah, já sei... pudim de caramelo!" Ela nunca havia feito pudim de caramelo, mas estava na hora de aprender. Abriu o livro de receitas e seguiu fielmente as instruções. Roberto chegou e os dois jantaram. Chegou, então, a hora da sobremesa. Com todo orgulho Com todo orgulho ela tirou da geladeira seu primeiro pudim de casamento e serviu ao marido com todo carinho. Ao dar a primeira colherada Roberto fez uma careta e disse:

- Querida, você precisa aprender a fazer pudim de caramelo igual ao da minha mãe!

Com isso, a recém-casada começou a chorar e aquele casal teve sua primeira briga porque o marido ainda não tinha se desligado emocionalmente de sua mamãezinha!

É importante que os pais planejem, de preferência antes do casamento, a melhor maneira de contribuir para o sucesso do novo lar.
__________

E.A.G.

Artigo publicado na revista Christian Life, 1995.
.
Jayme Kemp é norte americano, proveniente da Califórnia, formado no Werstern Seminary, em Portland, Oregan, e na Universidade Biola, California, onde recebeu o doutorado em “Ministério da Família”. Casou-se em setembro de 1965 com Judith – palestrante, escritora e enfermeira - e ambos viram ao Brasil em 1967 como missinários da Sepal. Em 1998 Jayme Kemp fundou a Sociedade Religisosa Lar Cristão. É autor de vários artigos publicados em jornais e revistas e escritor de mais de 50 livros publicados. Em 2007, a Sociedade Bíblica do Brasil publicou a Bíblia da Família, com a coletânea de textos de Jayme e Judith Kemp.

Nenhum comentário:

As 7 postagens mais acessadas na semana

As 7 postagens mais acessadas nos últimos 30 dias

As 7 postagens mais populares (geral - desde 12 de junho de 2007)

▲ Clique na imagem para retornar ao topo do blog.

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes

Bola colorida na areia da praia. By Eliseu Antonio Gomes
Cidade Ocean - Praia Grande - São Paulo/SP - Brasil.